Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias
Início do conteúdo da página

O MUSAL promoverá o projeto de exposição do Destacamento do Controle do Espaço Aéreo do Pico do Couto - DTCEA-PCO no Museu Casa Santos Dumont, localizado na cidade de Petrópolis. O projeto será realizado em parceria com a Secretaria de Turismo, conhecida como TURISPETRO. A exposição contará com a  curadoria da museóloga Amanda Marques e apoio do Tenente Edivandro Cabral do Santos, Chefe da Seção Técnica do DTCEA-PCO. A previsão de inauguração desta exposição é dia 20 de julho de 2019.

O Museu Aeroespacial apoiou a cerimônia militar alusiva ao 88° aniversário do Correio Aéreo Nacional (CAN) e Dia da Aviação de Transporte, na Base Aérea dos Afonsos, enviando cinco aeronaves de seu acervo.

 As aeronaves que estiveram presentes na cerimônia no último dia 12 de julho foram :  CurtissFledgling, matrícula K-263;  Douglas DC-3 (C-47B), matrícula 2009;  Avro C-91, matrícula 2504;  Buffalo C-115, matrícula 2371 e  Boeing 737-200 - VC-96, matrícula 2116.

 A solenidade foi presidida pelo Comandante da Aeronáutica e contou com a presença do ex-Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista, de representantes do Alto-Comando e de Oficiais-Generais da Força.

 Durante a cerimônia, a aeronave CurtissFledgling, matrícula K-263, ficou em exposição representando o primeiro transporte do CAN. Sua tripulação realizou a entrega da Ordem do Dia alusiva ao aniversário do Correio Aéreo Nacional ao Comandante da Aeronáutica.

 O desfile militar teve a participação do efetivo das unidades subordinadas à Guarnição de Aeronáutica dos Afonsos e de integrantes da ativa e da reserva da Aviação de Transporte da FAB, sob o comando do Brigadeiro do Ar Clóvis de Athayde Bohrer, veterano do CAN. Foi imposta, ainda, a Medalha Mérito Operacional Brigadeiro Nero Moura

 "Essa é a Força Aérea que ingressa nos tempos de sua quarta geração, perseguindo o primado da tecnologia que aflora no cenário da guerra moderna e tem no horizonte de sua operacionalidade as modernas aeronaves KC-390. Olhando o semblante de cada um dos senhores, posso ver muitos desses artífices. Aos prezados e ilustres amigos de ontem, de hoje e de sempre, o meu muito obrigado", congratulou o Tenente-Brigadeiro do Ar  Bermudez.

Museu Aeroespacial se sentiu extremamente honrado e valorizado ao ser escolhido por um grupo de 80 (oitenta) arquitetos e engenheiros israelenses para visitar suas instalações e conhecer seu acervo histórico. A visita foi uma solicitação do grupo para a Agência de Turismo Liberty, que intermediou este agendamento.

 Os turistas foram divididos em 2 (dois) grupos, que foram recebidos por mediadores do MUSAL, sendo o primeiro no dia 16 de maio e o segundo grupo no dia de hoje, 31 de maio de 2019.

Os mediadores guiaram e apresentaram a história da Aviação e da Força Aérea Brasileira contextualizada pelo acervo histórico exposto no museu, percorrendo as instalações e as aeronaves em exposição.

Durante as visitas, os visitantes deixaram clara a expressão de deslumbramento e admiração pela oportunidade de conhecerem não somente a riqueza do acervo histórico, mas também os traços arquitetônicos dos prédios e hangares do MUSAL.

O Douglas C-47 está de volta

Nosso primeiro Douglas C-47 voltou a ser exposto no Museu Aeroespacial.

O Douglas C-47 é um avião de 1935 com capacidade para 3 tripulantes e 28 passageiros e destinado às missões de transporte. Conhecido na aviação civil como Douglas DC-3,operou em grandes empresas aéreas durante a década de 1930, período de grande revolução e que levou a indústria aeronáutica a desenvolver aeronaves de maior porte, mais confortáveis e seguras para o transporte de seus passageiros.

A história da Força Aérea Brasileira com os primeiros Douglas C-47 data de 1944, quando recebemos as primeiras unidades oriundas da United States Army Air Force (USAAF, Força Aérea do Exército Norte Americano). A primeira aeronave C-47 da FAB foi justamente a de matrícula 2009, que chegou em Kelly Field, San Antonio, Texas, em 12 de setembro de 1944, e logo iniciou o seu longo voo de translado para o Brasil. Após 44 horas de voo e 11 escalas para reabastecimento e pernoite, finalmente chegava em nosso país.

A Força Aérea Brasileira utilizou esses aviões de 1944 a 1983 em missões do CAN - Correio Aéreo Nacional, onde cumpriram importante papel na integração da Amazônia brasileira.

O exemplar atualmente em exposição no MUSAL voou com a matrícula FAB 2009 até 1978, fazendo parte da história do 6º Esquadrão de Transporte Aéreo - Esquadrão Guará, que comemora 50 anos de criação neste ano de 2019.

Com o objetivo de preservar a história, cultivando as tradições e em cumprimento a uma de suas competências, o Museu realizou um excelente trabalho de recuperação do FAB 2009, envolvendo todo o efetivo do Setor responsável pela Recuperação de Aeronaves da Divisão de Patrimônio Cultural do MUSAL.

Os serviços realizados foram os mais minuciosos possíveis, a fim de reparar desgastes da aeronave e problemas naturais por sua idade e por sua exposição. Existiam muitas avarias nas superfícies do leme, profundor, na hélice e no motor. A fim de repará-las, foi necessária a retirada dessas superfícies e um minucioso trabalho para recuperação dessas peças. “Sinto-me muito satisfeito pelo trabalho técnico realizado, aplicando meus conhecimentos de mecânica. Sentimento do dever cumprido!” – citou o Suboficial Osvaldino Rocha dos Santos, mecânico da Seção de Manutenção de aeronaves.

Para o 1º Sargento Alexandre Antônio da Silva, da Seção de Pintura, declarou que a pintura da aeronave era muito antiga e que precisaram realizar um serviço muito minucioso de retirada das diversas camadas de tintas existentes. Além disso, existiam muitas mossas e amassados, sendo necessários serviços de chapas, preparação com prime e pintura específica. Afirmou que o sentimento desse serviço foi de imensa satisfação: “Todo serviço que fizemos foi pensando nos visitantes. Isso nos deixa orgulhosos, né? Estamos vendo o passado da aeronave no nosso presente. É muito gratificante ouvir elogios. Quem não gosta de ouvir elogios? Quantas pessoas verão o nosso trabalho (pintura) nesse avião? Bem gratificante!”

Como dito anteriormente, por conta da proximidade com o litoral e pela idade avançada da aeronave, apesar do MUSAL seguir um planejamento de prevenção de corrosão, o FAB 2009 apresentava uma corrosão generalizada e avarias em algumas partes. Assim, foram confeccionados itens que não estavam mais disponíveis para a aeronave, em função da inexistência de peças para a sua reposição. Além de reforços na longarina das asas devido a uma corrosão por desfolhamento. Na parte interna, foi feita a reestruturação dos bancos e pisos da aeronave. Por fim, foram reparadas também todas as superfícies de comando.

Para o Suboficial Maurício de Moraes Nascimento, do Setor de Estruturas de aeronaves: “A importância da minha Seção nesta restauração, pode ser destacada pelo trabalho com afinco para que a aeronave chegasse o mais próximo possível de sua originalidade. Finalmente, o sentimento que emerge é a satisfação em reviver a história da aeronave e possibilitar que o visitante do Museu Aeroespacial conheça esta importante parte da história do desenvolvimento de nosso país e, principalmente, do desbravamento de nosso território nacional.”.

Os pisos e forros da aeronave precisavam de um cuidado especial, sendo uma parte deles substituídos, principalmente na área que costumava ser destinada à carga, nos fundos da aeronave. Além disso, foi feito o apoio para os assentos. O Suboficial Edevaldo Dias Correia, responsável pela Carpintaria: “A sensação é de dever cumprido. É algo muito prazeroso. Ver o seu trabalho modificando algo que parecia todo danificado. Ficou “novinho”!”.

Ao vermos a aeronave C-47 restaurada, foi uma emoção muito grande. Poder participar [do restauro] de uma aeronave lendária, valorosa pela Força Aérea e dar a oportunidade de mostrar a todos que visitam, a importância que o Museu dá a cada item, a cada aeronave, a cada acervo da sua história e da FAB. Nós estamos extremamente emocionados, devido à restauração de uma aeronave lendária.” - Suboficial Cândido de Souza Azevedo Júnior.

Conforme declarado pelo Capitão Marcelo Faria Morier, Chefe da Seção de Restauração de Aeronaves: “Depois de tudo pronto, após 65 dias de trabalho ininterrupto, o C-47 ficou pronto a tempo de ter lugar de grande destaque na Formatura Alusiva ao Dia do Correio Aéreo Nacional e da Aviação de Transporte. O sentimento de todos é de orgulho e de missão bem cumprida! E que venham os próximos!”.

Delegação do AIR WAR COLLEGE (AWC) da Força Aérea do Paquistão, em viagem oficial ao Brasil, no dia 11 de junho de 2019, realizou visita ao Museu Aeroespacial.

A Comitiva era composta pelo General de Brigada Muhammad Yousaf, Adido de Defesa do Paquistão no Brasil; Comodoro do Ar Muhammad Jamal Arshad, Vice Comandante da PAF Air War College; 16 (dezesseis) oficiais-alunos, sendo 13 (treze) paquistaneses, 2 (dois) chineses e 1 (um) sul-africano; e ainda pelo  Capitão de Mar e Guerra José Maria de Lima Sobrinho, Representante do Ministério da Defesa do Brasil.

A visita guiada pela Ten Mota e acompanhada pela Ten Cel Vilma, respectivamente historiadora e museóloga do MUSAL, percorreu as instalações e as aeronaves em exposição, proporcionando a oportunidade de conhecerem parte da História da Aviação e, em particular, da Força Aérea Brasileira.

Segundo a mediadora, durante toda a visita, as expressões de deslumbramento e admiração pelo acervo histórico foram notórias, sendo unânime que todos da Comitiva ficaram encantados com tudo que viram e ouviram ao longo daquela oportunidade.

Oficiais-alunos da Comitiva do Air War College do Paquistão:

Tenente - Coronel Muhammad Rashid Minhas

Tenente - Coronel Muhammad Alif Hashim

Tenente - Coronel Muhamad Sajid Samad

Capitão Shad Mahmood

Capitão Sohail Ajaib

Capitão Arif Bilal Taseer

Capitão Mian Usman Ali

Capitão Mushfiq Hussain

Capitão Muhammad Ali Salahuddin

Capitão Muhammad Farooq

Capitão Muhammad Ali

Capitão Salman Aziz

Capitão de Fragata Faisal Mahmood

Tenente- Coronel Awr Segone (África do Sul)

Major Zhang Yu (China)

Major Huang Shuangshi (China)

MUSAL recebe visita da Comitiva de Desembargadores e Juízes do Tribunal Regional Federal da 2ª Região - TRF2, que tem competência sobre os territórios dos Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, sendo responsável por 20% do volume processual nacional.

A comitiva foi recebida pelo Diretor do MUSAL, Brigadeiro do Ar Luiz Carlos Lebeis Pires Filho, e guiada por um dos mediadores do museu, percorrendo todas as instalações, onde puderam conhecer e apreciar seu acervo histórico, assim como as aeronaves expostas nas áreas externas.

Estiveram presentes na visitação o Desembargador Federal André Fontes, a Juíza Federal Mônica Nascimento, a Juíza Federal Renata Musse, a Juíza Federal Karina de Oliveira, o Juiz Federal Elder Fernandes Luciano e o Juiz Federal Bruno Zanatta.

O Comandante da UNIFA, Major Brigadeiro Isaías; o Brigadeiro Ramos, Chefe do Escritório de Projetos Olímpicos; e o Brig. Tirre Freire, Vice-Reitor da UNIFA, também acompanharam a visitação.

Fim do conteúdo da página