Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias
Início do conteúdo da página

Integrantes do Treinamento de Gestão de Documentos, promovido pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), visitaram o Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), na manhã da última sexta-feira (15/07). 

 

A capacitação, que ocorreu no período de 11 a 15 de junho, sob a coordenação da Divisão de Documentação (DDOC) do DECEA, teve como objetivo a disseminação de conhecimentos adequados no que concerne à gestão de documentos e atualização dos profissionais do âmbito do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB).

Participaram da visita cerca de 18 alunos, militares e civis, oriundos do Instituto de Cartografia Aeronáutica (ICA), Centro de Documentação da Aeronáutica (CENDOC), Primeiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA I), Terceiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA III), Grupamento de Apoio de Curitiba (GAP-CT), Serviço Geral de Correspondência e Arquivo da Aeronáutica (SEGECAE) e Junta de Julgamento da Aeronáutica (JJAER).

No CGNA, o grupo foi recebido pelo Segundo-Tenente Especialista em Comunicações Fabrício dos Santos Souza, que ministrou palestra acerca das atividades do Centro, bem como da estrutura organizacional.

Após a instrução, os discentes deslocaram-se até o Salão Operacional onde puderam acompanhar as ações de gerenciamento de fluxo em tempo real. O Segundo-Tenente Especialista em Controle de Tráfego Aéreo André Luis Santos da Rocha explanou sobre as atividades de gerência e esclareceu questões levantadas pelo grupo.   

“A passagem pelo CGNA é importante para que os alunos tenham o conhecimento de onde reflete a organização da informação executada por eles, no contexto da Força Aérea como um todo”, explanou a Biblioteconomista, Maria Rosângela da Cunha, Instrutora do curso.

O grupo também visitou o Arquivo Nacional e o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ).  

Texto e fotos: 2S SIN Roberta

 

Visando aprimorar os conhecimentos no que se refere à gerência dos recursos humanos no âmbito operacional, estagiários do Curso de Gestão de Recursos de Defesa (CGERD) visitaram as instalações do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA). A passagem da comitiva, coordenada pelo Contra-Almirante Luiz Carlos Rôças Corrêa, ocorreu na tarde da última quarta-feira (13/06). 

Ministrada pela Escola Superior de Guerra (ESG) em parceria com a Federação de Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), a capacitação, que está na 13ª edição, tem como objetivo apresentar os conceitos de defesa no Estado moderno, baseados no Poder Nacional, nas Relações Internacionais, Políticas e na Gestão dos Recursos Públicos.

 

O curso, sediado nas instalações da FIESP - SP, com duração de 8 semanas (08/05 a 28/06), tem como coordenador o Coronel de Comunicações R/1 Luiz Cláudio de Souza Gomes e conta com a participação de cerca de 40 alunos, militares das Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica) e civis pertencentes ao Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), Amazônia Azul Tecnologia e Defesa S/A, Banco do Brasil, Central de Transplantes de São Paulo – SP, Helibras, Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Os Coronéis Aviadores Ricardo Luiz Dantas de Brito e Sidnei Nascimento de Souza, Chefe do CGNA e da Divisão de Operações (DO), respectivamente, deram as boas-vindas aos discentes e ministraram palestra acerca da estrutura organizacional do CGNA, atividades desempenhadas pelo Centro e concepção operacional no âmbito do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB).

A fim de complementar a instrução, a comitiva pôde conhecer todos os setores da DO e, também, acompanhar in loco as ações de gerenciamento de fluxo desenvolvidas no Salão Operacional.

“Nós temos observado nos últimos anos uma melhora acentuada na distribuição de órgãos e no número de transplantes bem-sucedidos do Brasil e isto se deve à participação efetiva do CGNA junto ao Ministério da Saúde. Entender como funciona a coordenação desse trabalho de perto, sem dúvida, é de grande valia”, salientou o Médico Cardiologista da Central de Transplante de São Paulo, Dr. Jarbas Simas.

A equipe também esteve no Itaguaí Construções Navais S/A (ICN), Centro Tecnológico do Exército (CTEx), Instituto de Pesquisa da Marinha (IPqM) e terminará seu ciclo de visitas na Escola Superior de Guerra (ESG). 

Texto e fotos: 2S SIN Roberta

Na manhã do dia 27 de abril, o chefe do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), Coronel Aviador Ricardo Luiz Dantas de Brito, apresentou o novo Videowall do Salão Operacional.

Embora as informações exibidas sejam as mesmas – fluxo de tráfego aéreo em tempo real, quantidades de pousos e decolagens (TATIC Flow), condições meteorológicas nos aeródromos, medidas ATFM aplicadas – a visualização das mesmas melhorou significativamente.

O painel antigo era composto por 24 telas de 50 polegadas, que agora dão lugar a 20 telões de LED de 72 polegadas cada, disposto em um arco côncavo que permite a melhor leitura dos dados pelos operadores que estiveram nas posições mais laterais do Salão.

A coordenação da implantação do Videowall ficou a cargo da Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA), que contratou a empresa ATC System, responsável pela colocação dos telões, e acompanhou toda a realização do projeto.

Segundo os coordenadores da implantação – engenheiro de telecomunicações Ariosto Ruiz de Carvalho Junior e o técnico Alexandre Santos Coelho – os testes operacionais tiveram início no dia 20 e o período de 24 a 3 de maio será dedicado às operações assistidas. A partir do dia 4 o Videowall entrará oficialmente em operação.

Paulo César Santos, representante da empresa ATC System, ressaltou o incremento tanto da exportação, quanto do gerenciamento de imagens, enquanto que o ganho operacional na parte de Tecnologia da Informação (TI) foi destacado pelo gerente nacional de fluxo de tráfego aéreo do CGNA, 1º Tenente Davi Monteiro de Medeiros, que comentou sobre a rapidez do backup, a robustez do sistema e a interface atualizada.

Em suas palavras oficiais o Coronel Ricardo parabenizou a todos por esta aquisição, lembrando que a instalação dos telões faz parte da terceira fase de implantação do SIGMA (Sistema Integrado de Gestão de Movimentos Aéreos) e que até o final de 2019 serão atualizados os hardwares e o próprio software.

Assessoria de Comunicação Social do DECEA
Texto: Telma Penteado – jornalista
Fotos: Luiz Eduardo Perez

Na última sexta–feira (18/5), no Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), por meio da Seção de Doutrina Operacional, ocorreu o encerramento do ciclo de capacitação técnico-operacional em Gerência Regional de Fluxo (CGN001), direcionado aos Militares Controladores de Tráfego Aéreo que atuam nas escalas Operacionais do CGNA e nas Células de Gerenciamento de Fluxo (FMC). 

É competência do Gerente Regional analisar, efetivar e acompanhar a aplicação de medidas táticas de gerenciamento de fluxo de tráfego aéreo (medidas ATFM táticas), com o objetivo de manter a demanda de tráfego compatível com a capacidade.

 

O treinamento foi dividido em duas etapas sendo a primeira, Ensino à Distância (EaD) e a segunda, presencial. Desta forma, os participantes puderam acompanhar in loco os procedimentos das operações inerentes ao gerenciamento de fluxo. O curso contou com a participação de 19 alunos oriundos do Destacamento de Controle de Espaço Aéreo de São Paulo - DTCEA-SP, DTCEA-CF, DTCEA-GL, Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo – CINDACTA II, Instituto de Controle do Espaço Aéreo – ICEA, Departamento de Controle do Espaço Aéreo - DECEA e do CGNA.

Segundo o coordenador da instrução Capitão Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Alexandre Rodrigues de Brito, fizeram parte do cronograma disciplinar a Estrutura Organizacional do CGNA, o Gerenciamento de Fluxo de Tráfego Aéreo, a Atuação Prática da Estrutura Organizacional do Centro, além das simulações nas quais os discentes puderam apresentar os resultados das soluções nos cenários hipotéticos para a Tomada de Decisão Colaborativa (CDM).

“Nós chegamos aqui com a mentalidade bastante diminuta da real operação que o CGNA faz e do quão envolvidos nós estamos nesse trabalho. Ter a oportunidade de participar do CGN001 me possibilitou adquirir um melhor entendimento do Gerenciamento de Fluxo e compartilhar soluções para dirimir os impactos diante das grandes demandas”, explanou o Primeiro Sargento Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Antônio Fernando Porto Lins Filho, Supervisor do controle do DTCEA-SP.

Finalizando a instrução, o Chefe do CGNA, Coronel Aviador Ricardo Luíz Dantas de Brito parabenizou o grupo e agradeceu a participação e o empenho de todos. “É de suma importância a capacitação dos Controladores para o alcance da excelência, no que tange o aprimoramento profissional, bem como para eficácia nos serviços de Gerenciamento de Fluxo de Tráfego Aéreo (ATFM) prestados pelo Centro em conjunto com as células FMC”.  

O curso, que acontece uma vez por ano, tem a próxima turma prevista para março de 2019.

Texto e fotos: 2S SIN Roberta

Ocorreu nos dias 2, 3, 9 e 10 de abril, no Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), por meio da Seção de Doutrina Operacional, a 1ª edição do Programa de Tomada de Decisões Sistêmicas em Cenários Complexos para Supervisores. A capacitação é direcionada aos Graduados Especialistas em Controle de Tráfego Aéreo que concorrem às escalas de serviço do Salão Operacional.  

É atribuição do Supervisor coordenar as tarefas inerentes às gerências regionais, acompanhar e efetivar aplicação de medidas de Gerenciamento de Fluxo de Tráfego Aéreo (ATFM) táticas, bem como assessorar o Gerente Nacional (GNAC) e o Gerente Nacional de Fluxo (GNAF), com informações quanto à tomada de decisão.

Visando o aperfeiçoamento técnico-operacional, o treinamento tem como objetivo apresentar aos Supervisores cenários operacionais de alto grau de complexidade, para que eles proponham soluções baseadas nas melhores práticas do ATFM.  

A instrução contou com a participação de 14 Controladores, todos pertencentes ao efetivo do CGNA, alocados em duas turmas. Os módulos dos conteúdos foram divididos em dois dias, abrangendo teoria e prática.

Dentre as disciplinas contidas no cronograma do treinamento, destacam-se o briefing inicial, conduzido pelo coordenador do curso Major Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Juarez Franklin Gouveia, bem como a matéria acerca da Estrutura ATFM abordando o Plano Global de Navegação Aérea (GANP) e o conceito operacional ATM (Gerenciamento de Tráfego Aéreo) global e nacional, ministrada pelo Primeiro-Tenente Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Ricardo David Benedictis e, por fim, a atividade baseada na modalidade estudo de casos, na qual uma banca, composta por Oficiais Controladores de Tráfego Aéreo, avaliou os grupos quanto às ações realizadas.

A experiência, inédita no CGNA, trouxe excelentes resultados na visão dos Controladores. “O treinamento foi ótimo. Tivemos a oportunidade de vivenciar situações variadas que nos proporcionaram um grande aprimoramento profissional”, afirmou a Primeiro-Sargento Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Aline Popiel.

Segundo a Seção de Doutrina, o próximo passo será estender o treinamento aos Gerentes do CGNA e das Células de Gerenciamento de Fluxo (FMC).

Texto e Fotos: 2S SIN Roberta

Ocorreu, no período de 23 a 27 de abril, no âmbito do Instituto de Controle do Espaço Aéreo (ICEA), em São José dos Campos/SP, um encontro coordenado pelo Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), mais especificamente pela Seção de Planejamento do Espaço Aéreo (SPEA) da Subdivisão de Gerenciamento do Espaço Aéreo (OGEA).

A finalidade da reunião foi o ajuste do banco de rotas preferenciais e alternativas pós-efetivação do PBN-Sul, projeto que implementou nova setorização no espaço aéreo da região Sul do País, entre outras modificações. O CDM Rotas 1/2018 contou com a presença de representantes do Instituto de Cartografia Aeronáutica (ICA), dos Centros Integrados de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA) de Brasília, Curitiba, Recife e Manaus (ACC e Subdivisão de Gerenciamento de Tráfego Aéreo (DO-ATM)), do Serviço Regional de Proteção ao Voo de São Paulo (APP-SP, APP-RJ e DO-ATM) e do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo (DTCEA) de Pirassununga.

 O encontro, realizado num contexto de Tomada de Decisão Colaborativa – CDM , gerou bons resultados para o público interno e externo do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB). Segundo o Primeiro-Tenente Especialista CTA Robson Matos Mendes, das 257 rotas anteriormente existentes, 52 delas foram canceladas, 03 modificadas de acordo com os ajustes necessários, 205 mantidas e 20 criadas, ficando um total de 225 rotas.
 
“O objetivo do CDM Rotas é otimizar a utilização da estrutura de rotas disponível no país, discutindo oportunidades de melhoria do gerenciamento de tráfego aéreo nos níveis tático e operacional, bem como contribuindo com propostas de modificação da estrutura do espaço aéreo no nível estratégico”, afirmou o Capitão Especialista CTA Marcos Roberto Peçanha dos Santos, Chefe da SPEA e Adjunto da OGEA.
 
Texto: CP CTA Peçanha
Revisão: CV Cristina

O Centro de Gerenciamento da Navegação (CGNA), visando concluir o mapeamento das capacidades dos setores do espaço aéreo brasileiro, estendidos sobre águas internacionais, por meio de Acordos Regionais, os quais foram firmados durante a Conferência Regional de Navegação Aérea do Caribe e América do Sul, enviou uma equipe de especialistas ao Terceiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA III), no período de 12 a 23 de março de 2018, com objetivo de extrair as variáveis de carga de trabalho dos setores do Centro de Controle de Área Atlântico (ACC-AO) e gerar os valores de capacidade do espaço aéreo controlado da Região de Informação de Voo (FIR) Atlântica.

O fato do ACC-AO utilizar a ferramenta de Comunicação entre Pilotos e Controladores via Data Link (CPDLC) e também a alta frequência (HF) exigiu da equipe de capacidade do espaço aéreo um longo período de planejamento, haja vista a complexidade do inédito trabalho a ser realizado pelo CGNA. Para o sucesso da missão, foi essencial o desenvolvimento de novas estratégias de cálculo e de coleta das variáveis de carga de trabalho. Pois, com expertise, foram gerados os indicadores de utilização das comunicações CPDLC e HF, bem como mapeadas as atividades de Interação Homem-Máquina (IHM) e de coordenações realizadas pelos controladores de tráfego aéreo.

Os valores de capacidade do espaço aéreo atlântico foram divulgados na reunião de harmonização, com a participação dos representantes do CGNA e do ACC-AO, realizada no CINDACTA III, no dia 23 de março de 2018.

“A aceitação dos resultados apresentados pelo CGNA coroou os esforços envidados pela equipe de especialistas em capacidade do espaço aéreo e emergiu o sentimento de dever cumprido”, afirmou o Primeiro Tenente Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Eliseu Cavalcanti de Albuquerque, coordenador da missão.

Texto: 1°Ten Esp CTA Cavalcanti 
Foto: ACC - AO
Revisão: 2S QSS SIN Roberta

Fim do conteúdo da página