Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Quando, em 2010, a então civil Patrícia Herdy (hoje 3º Sargento) assistiu a uma demonstração da Esquadrilha da Fumaça na sua cidade natal, Nova Friburgo/RJ, talvez não pudesse imaginar que nove anos mais tarde cumpriria o seu desejo de ingressar na mesma equipe que voou sobre a sua casa no Rio e assistida por toda a família. Foi por meio de uma conversa com o seu tio, oficial do Exército Brasileiro, que ela se orientou e decidiu ingressar, no mesmo ano, na Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), instituição de ensino técnico da Força Aérea Brasileira que prepara os militares Especialistas, tendo concluído o curso em 2012.

Final de semana agitado e com participação em grandes eventos para a Esquadrilha da Fumaça. Para dar conta de tudo, as demonstrações começam na sexta-feira (24), em Santa Rita do Sapucaí/MG e, no sábado e domingo, nas cidades de Barbacena/MG e Regente Feijó/SP.

Era para ser mais um voo rotineiro de instrução na Academia da Força Aérea (AFA) para os pilotos Tenente Helton Furlan e Tenente Felipe Kawka, a bordo dos T-27 Tucano. Para a Esquadrilha da Fumaça, era o aguardado dia de anunciar os seus novos pilotos, selecionados em conselho e que integrarão a equipe a partir de 2020.

Abrindo a agenda de maio, a Esquadrilha da Fumaça realiza duas demonstrações neste final de semana, no Estado do Paraná. No dia 4, o Esquadrão apresenta em Toledo e, no domingo, dia 5, na cidade de Braganey. Além dessas demonstrações, o Esquadrão marca presença na cidade de Brotas, no interior de São Paulo, no dia 3, sexta-feira.

O piloto da Força Aérea Brasileira, quando ingressa na Esquadrilha da Fumaça, permanece no time por cinco anos e, com a sua saída ao final deste período, abre-se a vaga para outros pilotos. Dos candidatos, além dos requisitos de experiência de voo, avaliam-se aspectos pessoais imprescindíveis para a equipe. Para tal, o Esquadrão conta com o Instituto de Psicologia da Aeronáutica (IPA) para avaliar o perfil psicológico de cada um.

“A Esquadrilha da Fumaça despertou em mim o sonho de ser piloto da Força Aérea Brasileira (FAB) quando, ainda criança, assisti a uma demonstração com os Tucanos. Somente agora, ao final do curso, me dei conta de que liderarei a Esquadrilha que me motivou a ingressar na FAB, assim como tem motivado vários jovens a trilharem o mesmo caminho.” Com essas palavras, o Tenente-Coronel Marcelo Franklin Rodrigues encerrou, no último dia 24 de abril, o seu curso de líder de voo da Fumaça, o piloto da posição #1, e passa a compartilhá-la com o comandante Tenente-Coronel Marcelo Oliveira da Silva.

Fim do conteúdo da página