Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Para se tornar um piloto da Esquadrilha da Fumaça, é necessário percorrer uma extensa trajetória dentro da Força Aérea Brasileira até atingir a experiência requerida e se candidatar a uma vaga. Ainda assim, devido às peculiaridades da atividade do Esquadrão, poucas vagas são abertas anualmente, cabendo aos atuais integrantes a escolha dos novos pilotos que irão compor a equipe no ano seguinte.

Após selecionado, o novo piloto é submetido a uma formação específica antes de realizar a sua primeira demonstração em voo, o chamado curso de Piloto de Demonstração Aérea (PODA). Composto por aulas teóricas, simulador de voo e uma extensa carga de instrução em voo com aproximadamente 80 missões, o curso torna os pilotos recém-chegados aptos a realizarem o voo de demonstração com as 7 aeronaves A-29 Super Tucano, juntamente com o resto da equipe.

Com a suspensão da agenda de demonstrações públicas da Esquadrilha da Fumaça para atender às recomendações de distanciamento social, os pilotos que foram selecionados em maio, Capitão Vitor Kawka e Tenente Bezerra, já deram início à sua formação.

Nos dias 7 e 8 de junho, ambos seguiram para Campo Grande (MS) a fim de realizar as missões de simulador no 3º/3º GAV, Esquadrão Flecha, unidade da Força Aérea Brasileira que também opera aeronaves A-29 Super Tucano. “Essa é uma fase importante do curso, onde os pilotos adquirem os conhecimentos fundamentais sobre a operação do avião antes de iniciar a instrução em voo”, comenta o Capitão Reis, que acompanhou os novos integrantes durante as missões no simulador.

 

Finalmente, no dia 14 de junho, os pilotos realizaram seu primeiro voo a bordo de uma aeronave da Esquadrilha da Fumaça. Durante essa, que é a fase mais extensa do curso, o Capitão Vitor Kawka e o Tenente Bezerra irão aprender e sedimentar importantes conceitos sobre o voo acrobático à baixa altura e o voo invertido, além das famosas manobras e acrobacias, tão conhecidas pelo público. De acordo com o Capitão Vitor Kawka, o curso “traz novos aprendizados em termos de pilotagem, uma vez que o perfil de voo é totalmente diferente do que se costuma realizar em outros esquadrões da Força Aérea”.

A previsão é que os novos pilotos concluam o curso ainda este ano. Suas estreias estão condicionadas à retomada da agenda de demonstrações da Esquadrilha da Fumaça, que por enquanto não tem data para retorno. Até lá, eles devem continuar realizando voos de treinamento com a equipe, aperfeiçoando os conhecimentos adquiridos no curso e aguardando o momento da sua primeira demonstração.

Para conhecer mais sobre a Esquadrilha da Fumaça, acesse o seu site www.fab.mil.br/eda. Também é possível acompanhar o dia a dia da equipe, seguindo a Fumaça no Instagram, Facebook e Twitter, além de acessar vídeos no canal do YouTube e fotos em alta resolução no Flickr.

 

Texto: Capitão Rafael Grothe
Fotos: Capitão Reis e Suboficial Ribeiro
Revisão: Major Nunes

Em apoio ao projeto “Iniciativa Horizonte”, instituição filantrópica de Pirassununga (SP), a Esquadrilha da Fumaça realizou a doação de uma camisa autografada pelos pilotos do time. Por meio de rifa realizada pelo projeto, o objetivo é auxiliar no levantamento de recursos para as suas atividades.

A Iniciativa Horizonte é uma associação educativa sem fins lucrativos que tem como missão preparar jovens de 13 a 19 anos de idade, de baixa renda, para o ingresso em escolas militares, como a Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAr), Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), Escola de Sargentos das Armas (ESA), dentre outras. Criada em janeiro de 2017, foi fundada por dois oficiais aviadores da reserva que serviram por mais de 30 anos à Força Aérea Brasileira e encontraram na Iniciativa Horizonte uma forma de retribuir à sociedade a educação e formação profissional recebidas.

De acordo com o Coronel Aviador Raul, um dos diretores e professor, atualmente 22 jovens são atendidos, os quais usualmente permanecem com eles por dois a três anos. Desde o início das atividades, mais de cinquenta jovens já foram atendidos, com aprovações em escolas de formação das Forças Armadas e instituições públicas de ensino superior. O ensino é gratuito e a indicação dos alunos é feita pelas escolas estaduais, de alunos com média acima de 7, baixa renda, bom comportamento e menos de 10% de faltas. Alunos bolsistas de escolas particulares, e que comprovem baixa renda, também podem ser indicados. Há um “vestibulinho”, onde são selecionados os melhores classificados.

As aulas de matemática, português, redação, inglês, física, história, geografia e educação física, além de formação cidadã, são ministradas por professores voluntários e três contratados. A escola, que é custeada por meio de doações de estrutura, bens e serviços voluntários, sofreu uma queda na arrecadação durante a pandemia da COVID-19. “Atualmente, temos três alunos pagantes, fruto do interesse de muitas pessoas em estudar conosco por acreditarem nos valores que aqui pregamos. O dinheiro dessas mensalidades é integralmente revertido para custear as atividades da Iniciativa Horizonte”, explica o Coronel Raul.

Incentivar o ingresso de jovens nas fileiras da FAB e fomentar a cultura e mentalidade aeronáuticas fazem parte da missão da Esquadrilha da Fumaça e vão ao encontro da missão da Iniciativa Horizonte. 

Para conhecer mais e ser um parceiro da Iniciativa, acesse www.iniciativahorizonte.com.br e siga os perfis no Facebook e Instagram. Acesse, também, o site da Rifa Tech para participar do sorteio. Boa sorte!

Na manhã do dia 18 de maio, três aeronaves A-29 Super Tucano decolaram para a primeira interceptação do dia. Foi um momento especial para o Tenente Kawka que, liderando a formação de A-29, teve a oportunidade de interceptar o T-27 Tucano da Academia da Força Aérea pilotado pelo seu irmão mais velho, o Capitão Vitor Kawka, e anunciar a sua entrada na equipe: “Para nós, é uma grande alegria poder anunciar que, a partir de agora, você faz parte da Esquadrilha da Fumaça. Como seu irmão, é um prazer ainda maior saber que serviremos juntos nesse excelente Esquadrão”.

Seguindo os anúncios do dia, foi a vez dos novos Anjos da Guarda serem apresentados ao público. Dessa vez, o Major R. Tavares, chefe da Seção de Material do Esquadrão, teve a satisfação de anunciar os novos especialistas da Esquadrilha da Fumaça: os Sargentos Zanelli, Gabriel e a Sargento Mariana. De acordo com o Major, os novos integrantes “chegam para somar à equipe, trazendo experiências e conhecimento técnico necessários ao cumprimento da missão do Esquadrão”. Ainda segundo ele, os novos Anjos da Guarda cumprirão um programa de adaptação às atividades específicas da Esquadrilha da Fumaça, além de realizar o curso de manutenção da aeronave A-29 Super Tucano”.

Para encerrar o dia, mais duas aeronaves A-29 decolaram no fim da tarde, desta vez para interceptar o Tenente Bezerra a bordo de um T-25 da Academia da Força Aérea em um voo de formatura. Aproximando-se com os A-29, o Tenente Furtado falou no rádio: “Olhe para a sua direita, Bezerra! Em nome da Esquadrilha da Fumaça, eu tenho a honra de parabenizá-lo e dar as boas-vindas por ter sido selecionado para integrar o grupo. Parabéns, Fumaceiro!”.

Anualmente, oficiais e graduados da Esquadrilha da Fumaça encerram seu ciclo junto à equipe para assumirem novas funções na Força Aérea Brasileira, abrindo a oportunidade para que outros possam integrar o grupo. Com a previsão de saída de dois pilotos e três graduados no final de 2021, os anunciados passarão a integrar a equipe a partir de janeiro do próximo ano.

Para se candidatar a uma vaga na Esquadrilha da Fumaça, é necessário ser militar da ativa da Força Aérea Brasileira e atender aos requisitos exigidos. No caso dos pilotos, é necessário possuir 1000 horas de voo, sendo destas 500 horas como instrutor na AFA ou no 2º Esquadrão do 5º Grupo de Aviação, na Ala 10, em Natal (RN). Os candidatos, então, são submetidos a um processo de escolha com base na sua experiência profissional e operacional, e ao final são aprovados pelo Gabinete do Comandante da Aeronáutica (GABAER), em Brasília.

Para conhecer mais sobre a Esquadrilha da Fumaça, acesse o seu site www.fab.mil.br/eda. Também é possível acompanhar o dia a dia da equipe, seguindo a Fumaça no Instagram, Facebook e Twitter, além de acessar vídeos no canal do YouTube e fotos em alta resolução no Flickr.

Quando um piloto é escolhido para compor a equipe do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA) da Força Aérea Brasileira (FAB), ele cumpre uma série de etapas de instrução em voo até a conclusão do curso de Piloto Operacional de Demonstração Aérea (PODA), momento em que realiza o “voo solo” em formação com os outros seis aviões. Durante esta semana, dois pilotos concluíram este curso e, agora, estão prontos para realizar demonstrações aéreas em suas novas posições de voo. 

Na última terça-feira (18), a Esquadrilha da Fumaça concluiu com êxito a formação de mais um piloto de demonstração aérea. Após quase sete meses e mais de 80 horas voadas, o Capitão Helton Furlan, que foi escolhido para compor a equipe da Fumaça a partir de 2020, realizou o seu primeiro voo solo na posição de ala esquerda na formação com sete aeronaves.

Ao ser recebido pela equipe no solo, o piloto recebeu o cachecol do seu instrutor de voo, o Capitão Renan Santoro, e os cumprimentos de toda a equipe. “Desde criança, acompanho e admiro a Esquadrilha da Fumaça, e hoje posso dizer que estou muito feliz por fazer parte do time que tanto admirei no passado. Da mesma forma como aconteceu comigo, quero incentivar outros jovens a ingressarem na Força Aérea e seguirem esse mesmo caminho”, disse o Capitão Furlan. A partir de agora, ele está pronto para realizar demonstrações públicas com a equipe, dividindo a posição de número 3 com o seu instrutor, o Capitão Santoro.

Para se tornar um piloto da Esquadrilha da Fumaça, é necessário percorrer um longo caminho dentro da Força Aérea Brasileira. Desde a formação na Academia da Força Aérea, o piloto progride operacionalmente, ganhando experiência de voo e amadurecendo tudo o que aprendeu na sua carreira como aviador da FAB. Ao atingir as marcas operacionais mínimas, ele finalmente pode se candidatar a uma vaga para compor a equipe da Fumaça, sendo submetido a um processo de escolha pela equipe atual, e homologado pelo Gabinete do Comandante da Aeronáutica.

Durante a formação na Esquadrilha da Fumaça, o piloto passa por um extenso programa de instrução aérea, que conta com aulas teóricas sobre acrobacia aérea, além de adaptação ao voo invertido (de cabeça para baixo) e acrobacias a baixa altura, na fase básica. Ao sedimentar os princípios fundamentais, inicia a fase avançada, período em que aprende a parte específica da sua posição de voo, recebendo instrução apenas do piloto com quem vai dividir as viagens e demonstrações após formado.

A agenda de demonstrações da Esquadrilha da Fumaça permanece suspensa, seguindo as recomendações dos órgãos de saúde. Durante esse período, a equipe está em constante treinamento para manter sua adaptação e aperfeiçoar as técnicas de voo acrobático. Para mais informações e curiosidades sobre a Esquadrilha da Fumaça, acesse sua página oficial em www.fab.mil.br/eda. Também é possível acompanhar de perto a rotina da equipe seguindo-a nas principais mídias sociais, como Facebook, Instagram e Twitter, além de uma página de vídeos no Youtube.

 

Mais informações:

Seção de Comunicação Social da Esquadrilha da Fumaça

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Texto: Capitão Rafael Grothe

Fotos: Suboficial Marco Ribeiro e Mara Santoro

Uma demonstração para um dos maiores públicos que a Esquadrilha da Fumaça já recebeu ao longo dos seus 68 anos de história. No chão, porém, apenas os militares do Esquadrão viam de perto as 50 manobras dos sete A-29 Super Tucano. De casa, mais de 300.000 pessoas assistiam, ao vivo, a uma apresentação pela primeira vez transmitida pelo Youtube.

Fim do conteúdo da página