Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Produção Acadêmica
Início do conteúdo da página

A Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR) é a Organização Militar de Ensino Superior do Comando da Aeronáutica que tem por finalidade “capacitar Oficiais Superiores para o preparo e o emprego do Componente Militar do Poder Aeroespacial”, por meio de cursos e estágios de altos estudos militares, notadamente o Curso de Altos Estudos Militares (CAEM) e o Curso de Comando e Estado-Maior (CCEM).

Assim, como forma de divulgar e dar maior visibilidade ao processo de construção do conhecimento, discutido e desenvolvido em seus cursos de pós-graduação lato sensu, criamos este espaço que se propõe a divulgar os trabalhos acadêmicos realizados pelos Oficiais-Alunos.

Esperamos que essa iniciativa possa alcançar aqueles que buscam conhecimentos desenvolvidos nessa área de pesquisa muito específica, mas também que essa divulgação possa esclarecer a sociedade brasileira quanto à atuação de suas Forças Armadas em prol da Defesa da Nação. 

Desejamos aos nossos leitores uma “decolagem segura” e uma “navegação perfeita” por meio desses conhecimentos; a todos, um bom voo e boa leitura!

DIREITOS E PERMISSÃO DE UTILIZAÇÃO

Os trabalhos aqui apresentados foram desenvolvidos por Oficiais-Alunos e constituem análises de inteira responsabilidade dos autores, não representando necessariamente o pensamento da Escola ou do Comando da Aeronáutica (COMAER).

Permite-se a reprodução, total ou parcial, do conteúdo aqui disponibilizado, desde que citadas a fonte e o autor.

Dúvidas e sugestões poderão ser enviados para a Seção de Comunicação Social da ECEMAR (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.).
 


A FORÇA AÉREA DO FUTURO

A Força Aérea Brasileira (FAB) do futuro dependerá do reconhecimento da necessidade de um processo contínuo de desenvolvimento de capacidades militares para o cumprimento da sua missão.

No âmago da transição para esse futuro, a capacitação de seu efetivo é uma condição prioritária. Por intermédio das suas competências, os militares e civis da FAB serão responsáveis por transformar o conceito em realidade e manter as atuais demandas operacionais durante o desenvolvimento da Força Aérea do Futuro.

Partindo-se da atual doutrina e explorando os conceitos decorrentes das constantes atualizações dos objetivos operacionais de uma Força Aérea, pode-se identificar a necessidade de novas capacidades militares para a FAB. Estas capacidades são o grau de aptidão que as Forças Armadas devem possuir, em relação à eficiência operacional, ao poder de combate e ao domínio tecnológico, para ser empregada em tarefas de natureza militar, em atendimento a sua destinação constitucional.

As capacidades futuras são os desdobramentos lógicos das atuais capacidades. Buscam, no entanto, atingir outros níveis de maturidade operacional, visando, principalmente, obter melhores resultados com menor quantidade de meios, materiais ou humanos.

A construção do conhecimento, parte essencial do processo educacional, aqui expresso pelos trabalhos acadêmicos produzidos na ECEMAR diretamente relacionados a cada uma das capacidades apresentadas, passa assim a ser uma contribuição de real valor para o futuro da Força.

(adaptado da DCA 11-45/2016 CONCEPÇÃO ESTRATÉGICA“FORÇA AÉREA 100”)

PROJEÇÃO ESTRATÉGICA DE PODER

A Projeção Estratégica é a capacidade militar de levar o poder aéreo e espacial a qualquer área de interesse no território nacional e no entorno estratégico, no momento oportuno e na dimensão adequada.

Esta Capacidade tem origem no conceito de que é possível afetar a vontade e a capacidade de lutar do oponente sem atacar diretamente suas forças militares, foca no emprego de ações ofensivas de Força Aérea, letais e não letais, direcionadas para os Centros de Gravidade inimigos (relacionados à Capacidade de Projeção Estratégica do Poder Aéreo e Espacial), podendo ser empregada de forma multinacional.

SUPERIORIDADE NOS AMBIENTES AÉREO E ESPACIAL

A Superioridade nos domínios aéreos e espaciais representa a capacidade de controlar porções específicas dos ambientes aéreo e espacial de interesse, por períodos de tempo limitados, de modo a garantir a soberania, o patrimônio nacional e a integridade territorial, e ainda para assegurar as operações militares das forças de superfície.

Dominar o Ambiente Aéreo e Espacial engloba diversas áreas de atuação, tais como meios aéreos (aeronaves e seus armamentos), terrestres e de vigilância (fixos, transportáveis e aeroembarcados), necessitando ainda empregar as plataformas espaciais para diversas atividades como comunicações, navegação, vigilância, meteorologia e sensoriamento.

COMANDO E CONTROLE

O Comando e Controle é a capacidade que proporciona aos Comandantes, nos níveis estratégico, operacional e tático, o exercício da autoridade e do controle sobre organizações ou forças ao seu dispor para o cumprimento da missão atribuída.

A capacidade de comando e controle (C²) para as ações da Força Aérea é um elemento central do sistema de combate, imprescindível ao sucesso das missões atribuídas para a FAB. Uma Força Aérea que possui centenas de aviões, mas não dispõe de um sistema C² robusto, efetivamente, não dispõe de um sistema de combate real. Além disso, esta Capacidade abrange, também, todas as atividades pertencentes ao ambiente cibernético, à guerra eletrônica e à tecnologia da informação.

SUPERIORIDADE DE INFORMAÇÕES

A Superioridade de Informações é a habilidade para coletar, processar, armazenar, disseminar, produzir e proteger dados de interesse do ambiente operacional, no momento oportuno e no formato adequado e, paralelamente, negar ao adversário a possibilidade de fazer o mesmo, proporcionando segurança e liberdade de ação às operações militares.

Esta Capacidade abrange, ainda, todas as atividades diretamente relacionadas com a obtenção, emprego ou proteção do conhecimento a ser utilizado pelo Poder Aeroespacial.

SUSTENTAÇÃO LOGÍSTICA

A Sustentação Logística deve ser capaz de prever, prover e manter recursos e serviços necessários ao preparo e ao emprego da Força Aérea, direta ou indiretamente, em qualquer área de interesse no território nacional e no entorno estratégico, no momento oportuno e na dimensão adequada. Envolve as atividades de Engenharia, Manutenção, Recursos Humanos, Salvamento, Saúde, Suprimento, Transporte e Finanças.

Esta capacidade é essencial à condução das ações da Força em qualquer situação de contingência, pois envolve atividades que viabilizam o Emprego do Poder Aéreo e do Poder Militar, destacando-se como um fator multiplicador de forças, presente em todas as fases de um emprego militar, influencia o ritmo, a duração e a intensidade das operações.

PROTEÇÃO DA FORÇA

É a capacidade voltada para garantir a segurança do pessoal, do material, das instalações, das informações e das comunicações em apoio as atividades de emprego, preservando o poder de combate dos Meios de Força Aérea.

As ameaças ao Poder Aeroespacial podem ser letais ou não letais, envolvendo desde ataques aéreos e de superfície até os químicos, biológicos, nucleares e radiológicos. Ademais, podem constituir ameaças ao Poder Aeroespacial os efeitos sobre as operações decorrentes de desastres provocados pelo homem ou pela natureza.

INTEROPERABILIDADE

 A Interoperabilidade é a capacidade de operar de maneira integrada, coordenada e harmônica com outras Forças Armadas e agências governamentais, como também em operações conjuntas ou multinacionais, para o cumprimento da missão atribuída.

Interoperabilidade em uma perspectiva simples, é o grau em que várias organizações ou elementos são capazes de operar em conjunto para alcançar um objetivo comum. A partir desta perspectiva de alto nível, a interoperabilidade pode ser desdobrada em camadas de padronização, integração, cooperação e mesmo sinergia.

 

 

Fim do conteúdo da página