Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Histórico
Início do conteúdo da página

Conhecida como “Sentinela Alada do Pantanal”, a BACG teve início em maio de 1932, quando a Aviação Militar do então Ministério da Guerra, sentindo a necessidade de dar maior apoio aos aviões que passavam pela região, criou um Núcleo de Destacamento de Aviação em Campo Grande.

 

1930 – 1945 Do início à criação oficial da BACG

Com o incremento do desenvolvimento da aviação no final dos anos 20, a possibilidade de que o avião fosse utilizado para integrar e diminuir o tempo e as distâncias existentes no Estado do Mato Grosso e, principalmente na Inóspita região da fronteira com a Bolívia e o Paraguai.

Com a criação do Grupo Misto de Aviação em 1931 e a consequente ideia da utilização do avião para levar correspondência e outros apoios necessários para as mais inóspitas regiões do Brasil foi determinada a criação do CAM – Correio Aéreo Nacional – em 12 de junho de 1931.

O processo de ampliação do CAM, logo no início de 1932, incluiu uma linha que chegasse até o Estado do Mato Grosso, alcançando a cidade de Campo Grande. A rota utilizada na oportunidade foi: Rio de Janeiro – São Paulo – Bauru – Penápolis – Três Lagoas – Campo Grande, tendo como aeronave utilizada nessa linha pioneira o biplano Waco CSO.

Após o início das atividades orgânicas da Aviação Militar em Campo Grande em maio de 1932, foi observado pelas autoridades do então Ministério da Guerra, a necessidade de criação de um Núcleo de Destacamento de Aviação em tal cidade.

Aprovada sua criação, a nova Organização recebeu a denominação de Núcleo de Destacamento de Aviação de Campo Grande, sendo subordinada administrativamente a então Circunscrição Militar, comandada pelo Coronel Newton A. Cavalcanti, com um efetivo inicial constituído por um sargento e três praças.

A primeira pista do Destacamento de Aviação de Campo Grande, com 600 metros de extensão e 60 metros de largura, localizava-se nas proximidades do atual Cemitério Santo Amaro, que mais tarde foi substituída por outra, construída pela Segunda Companhia do Sexto Batalhão de Engenharia, de Aquidauana, medindo 1400 metros por 10 metros de largura, sendo inaugurada em 24 de agosto de 1933.

Em 1934 o então Núcleo de Destacamento é elevado a Destacamento da Aviação de Campo Grande, sendo designado como primeiro comandante o 1º Tenente-Aviador Hortêncio Pereira de Brito, que deu início à realização da primeira linha do Correio Aéreo de Fronteira, utilizando-se de três aeronaves do tipo Waco CSO com matrículas C-7, C-39 e C-40. A Circunscrição Militar, por sua vez, foi transformada na 9ª Região Militar.

A Primeira linha do CAM partindo de Campo Grande teve início em 1934, com vistas a apoiar as Unidades do Exército Brasileiro localizadas na região de fronteiras com o Paraguai, tendo uma extensão de 700 km e tendo como rota: Campo Grande – Bela Vista – Ponta Porã – Maracajú – Entre Rios – Campo Grande.

Por despacho de 29 de abril de 1935, assumiu o comando do Destacamento de Aviação de Campo Grande o 2º Tenente da Arma de Aviação Tíndaro Pereira Dias, em substituição ao 1º Tenente Hortêncio Pereira de Brito, que durante seu comando teve que reconstruir o hangar que havia sido destruído por um violento incêndio que acarretou sua destruição total e reestabelecer as linhas do CAM por toda a área do Estado do Mato Grosso.

No dia 12 de maio de 1936, assumiu o Comando do Destacamento o 2 º Tenente Ary Neves, em virtude do 2º Tenente Tíndaro Pereira Dias ter seguido para a Capital Federal, a serviço, reassumindo o comando no dia 16 de junho do mesmo ano.

Após a consolidação da implantação do Destacamento de Aviação em Campo Grande, o Tenente Hortêncio, seu primeiro comandante, foi transferido para o 1º Regimento de Aviação – 1º RAV, no Rio de Janeiro, onde foi o aviador brasileiro escolhido para realizar a primeira linha internacional do CAM, em um voo que teve início no Rio de Janeiro e partiu de Campo Grande em 21 de janeiro de 1936 com destino a Assunção, no Paraguai com a finalidade de apoiar a Embaixada do Brasil na Capital Guarani, em virtude das negociações de Paz entre Paraguai e Bolívia decorrentes da Guerra do Chaco (1932 a 1935).

Em 8 de Julho de 1938, assumiu o Comando do Destacamento o 2 º Tenente Aviador Silas Cerqueira Leite, em virtude do 2º Tenente Tíndaro Pereira Dias ter seguido para a Capital Federal.

Seguindo a Nova Sistemática adotada pela Aviação Militar, a denominação do Destacamento de Aviação de Campo Grande foi modificada, em 01 de junho de 1939 para III/2º Regimento de Aviação – III/2º Rav.

Em 17 de janeiro de 1940, acompanhando a evolução da nova organização da Aviação Militar, o III/2º RAv é transformado em 8º Corpo de Base Aérea – 8º CBAé, sendo assumido pelo Capitão-Aviador Abél Veríssimo de Azambuja.

Com a criação do Ministério da Aeronáutica, em 20 de janeiro de 1941, o 8º CBAé foi desligado da 9ª RM, passando a ser classificado como Base Aérea de 3ª Classe.

A organização do recém criado Ministério da Aeronáutica, estabelece que o território Nacional seria dividido em cinco Zonas Aéreas, que teriam a responsabilidade pela administração dos interesses do novo Ministério em sua área de jurisdição. Dessa forma, pelo Decreto-Lei nº 3762, de 25 de outubro de 1941, o Estado de Mato Grosso constituiu a 5ª Zona Aérea e a cidade de Campo Grande foi designada para a sede de seu Quartel-General, tendo como seu primeiro e único Comandante o Brigadeiro-do-Ar Gervásio Duncan de Lima Rodrigues, que perdurou até a transferência da 5ª Zona Aérea para Canoas no Rio Grande do Sul em 04 de março de 1942. O Brigadeiro-do-Ar Gervásio Duncan de Lima Rodrigues por sua vez seguiu para São Paulo a fim de Comandar a 4ª Zona Aérea agora constituída pelos estados de São Paulo e Mato Grosso.

Tendo sido adquirida em 1940 a Fazenda Serradinho pelo Exército com a finalidade de sediar as atividades da Aviação Militar em Campo Grande, em 1942, o primeiro passo para o início das obras da nova Unidade foi a realização de providências de Engenharia para drenagem do terreno pantanoso e a construção de uma olaria que produziria os tijolos para a construção dos edifícios da nova Organização Militar.

Em 30 de setembro de 1943, assumiu o Comando da Unidade o Capitão-Aviador Ormuzd Rodrigues da Cunha Lima.

Em 27 de dezembro de 1943, iniciou-se a transferência da sede da antiga Base para as novas instalações.

Segundo consta nos anais da Engenharia da FAB, a BACG foi a primeira Base construída dentro da filosofia e com projeto desenvolvido na nova arma e serviu de modelo para outras bases que estavam sendo construídas pelo Brasil nos anos 40.

Em 23 de março de 1944, pelo Decreto-Lei nº 6.365 desativava-se o 8º Corpo de Base Aérea de Campo Grande e pelo Decreto-Lei nº 6.814 de 21 de agosto de 1944 era criada oficialmente a Base Aérea de Campo Grande.

1945 – 1970 Ativação oficial da BACG

Em 19 de abril de 1945 é inaugurada a nova sede da Unidade como classificação provisória de Destacamento de Base Aérea de Campo Grande em Solenidade Militar, tendo o novo emblema adotado, com seu corpo principal sendo constituído por uma onça pintada, com uma biruta amarrada em sua cauda, representando toda a inospitalidade que o DEBAER CG teria que apoiar. A partir desse momento, a Onça pintada passou a ser o mascote da nossa Organização Militar, quer seja em seu emblema ou como animal vivo mantido em cativeiro no interior da Base.

Em 22 de outubro de 1945, assume o comando do DEBAER CG o Major Aviador Y’juca Pirama de Almeida.

 

Aguarde a continuação de nossa história...

1970 – 2005 Esquadrões Aéreos (Onça, Pelicano e Flecha)

Em construção.

2005 – 2015 Bem vindo EAS

Em construção.

2015 – dias atuais…

Em construção.

QUIZ

Em construção.

Obrigado pela visita!

 

Fim do conteúdo da página