Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias
Início do conteúdo da página

Quem serviu à Aeronáutica nos últimos cinco anos deve atualizar seus dados junto à Força neste mês de dezembro. A iniciativa faz parte do EXAR 2019 - Exercício de Apresentação da Reserva da FAB.

Realizado anualmente, o EXAR objetiva praticar o mecanismo de convocação e avaliar a eficiência do sistema de mobilização, além de cultivar o espírito cívico dos integrantes da reserva.

O EXAR é obrigatório para todos os oficiais e praças da reserva não remunerada, bem como para os oficiais demitidos do serviço ativo sem perda do posto e patente e para os oficiais e praças temporários licenciados.

A Ala 4 está convocando os reservistas que prestaram o serviço militar nos anos de 2014 à 2018. A apresentação deve ser presencial entre os dias 09 e 14 dezembro de 2019 (Semana do Reservista). No dia 14 de dezembro, sábado, haverá uma recepção aos reservistas com uma Cerimônia Militar e um café da manhã de confraternização.

EXAR
O Exercício de Apresentação da Reserva envolve a atualização de dados pessoais como endereço, telefone, grau de escolaridade e formação. O procedimento é obrigatório para todos os oficiais e praças da reserva não remunerada, assim como para os oficiais demitidos do serviço ativo sem perda do posto e patente e para os oficiais e praças temporários licenciados. Portadores de certificados de dispensa de incorporação classificados em "situação especial" e reservistas de primeira e segunda categorias também devem ficar em dia com suas obrigações militares.

INFORMAÇÕES E CONTATO
Ala 4 (antiga Base Aérea de Santa Maria)
Setor: Seção Mobilizadora (SMOB)
Fone: (55) 3220–3603

 

A Força Aérea Brasileira (FAB) realiza desde a última segunda-feira (18/11) o Exercício Operacional (EXOP) Tínia, nas Alas 3 e 4, Organizações Militares localizadas em Canoas (RS) e Santa Maria (RS), respectivamente. As localidades receberam mais de 600 militares do efetivo de duas dezenas de Unidades distribuídas por todo o Brasil, simulando um ambiente de guerra convencional - quando há um conflito entre forças armadas de dois países ou alianças de Nações. Mais de 50 aeronaves estão envolvidas no Exercício, a ser realizado até 03 de dezembro.


O Diretor do EXOP Tinia e Comandante da Ala 3, Brigadeiro do Ar Raimundo Nogueira Lopes Neto, falou sobre o objetivo e a importância do treinamento. “O objetivo desse Exercício é treinar guerra convencional, que é tradicional, no entanto, desafiador, porque cada vez mais nos exige capacidades diferenciadas. Estamos aqui executando um treinamento de grande porte, adestrando todas as nossas capacidades”, disse.

O EXOP Tinia terá a participação das Aviações de Caça, Reconhecimento, Asas Rotativas e Transporte, além do envolvimento do Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (1º GCC) e dos Grupos de Defesa Antiaérea (GDAAE). Entre as aeronaves empregadas, estão os caças F-5M, A-1 e A-29; a aeronave-radar E-99; as aeronaves de reconhecimento R-99, R-35AM e R-35A; as aeronaves de transporte C-130 Hércules e C-105 Amazonas; e o helicóptero H-60L.

O Comando de Preparo (COMPREP) está à frente da atividade, que segue a proposta de adequar os treinamentos ao perfil comumente encontrado no cenário internacional. De acordo com o Coordenador do Exercício no COMPREP, Coronel Aviador Gustavo Pestana Garcez, uma das vantagens do EXOP Tinia é a capacidade de treinar a coordenação das manobras entre as duas localidades. “Nessa edição, nós temos a Ala 3 e a Ala 4, em Canoas e Santa Maria, compondo uma coalizão, realizando missões aéreas compostas com comando e controle por videoconferência, produzindo um planejamento único para o atendimento dos objetivos propostos”, afirma o Coronel Pestana.

Ao longo dos 16 dias do Exercício, serão praticadas diversas ações: Escolta, Reconhecimento Aéreo, Controle e Alarme em Voo, Ataque, Varredura, Reabastecimento em Voo, Posto de Comunicação no Ar, Defesa Aérea, Defesa Antiaérea, Transporte Aéreo Logístico, Assalto Aeroterrestre e Busca e Salvamento em Combate, dentre outras.

 

Fonte: Cecomsaer FAB.

Na sexta-feira (22) aconteceu a assinatura do Acordo de Cooperação Técnica entre a Ala 4, UFSM e a Prefeitura Municipal de Santa Maria. O acordo busca a conjugação de esforços entre as instituições para o estudo da flora e da fauna de duas importantes áreas da cidade de Santa Maria: o Aeródromo Municipal e o Distrito Industrial.

O mapeamento a ser realizado prevê a elaboração de planos de manejo da fauna e da flora das duas áreas, e será desenvolvido por técnicos, professores e acadêmicos da UFSM. Pelos próximos 5 anos, será possível identificar riscos no pouso e decolagem de aeronaves, bem como degradações ambientais no Distrito Industrial, por exemplo. O acordo contribui, assim, na elaboração do plano de riscos que a Prefeitura Municipal precisa apresentar para a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a fim de garantir a segurança da população que utiliza o aeroporto de Santa Maria, o qual é gerenciado pelo Comando da Ala 4. Além disso, pode contribuir na resolução de problemas já detectados na cidade como, por exemplo, a ampliação da pista de pouso do aeroporto. Esta ampliação pode garantir o pouso de aviões de maior porte e o aumento da oferta de voos, propiciando mais mobilidade para quem chega e sai de Santa Maria e movimentando a economia.

O Comandante da Ala 4, Coronel Aviador Élison Montagner, registrou a alegria em ver o projeto em andamento através da união entre as três instituições. “Precisamos dessa conexão entre as equipes para que possamos, juntos, procurar soluções para nossa sociedade”, destacou. A cooperação também foi a palavra-chave utilizada pelo Prefeito de Santa Maria, Jorge Pozzobon, para definir o projeto iniciado. “Além de cooperação, a vontade é peça fundamental para fazer o ineditismo em nosso país”, salientou.

O reitor da UFSM, Paulo Burmann, salientou que o acordo marca o encontro de demandas importantes para a Universidade e para toda a região. “É uma honra para a UFSM participar como peça importante desse projeto, que vem a ser um campo de atuação inédito no país. Apesar das leituras distorcidas sobre a UFSM, não nos abalamos e seguimos trabalhando. Nossa preocupação é com o desenvolvimento da região e do nosso país. Essa parceria mostra que precisamos caminhar juntos para esse desenvolvimento”.

A assinatura do termo de cooperação também contou com a presença do vice-reitor, Luciano Schuch, do Pró-reitor de Extensão, Flavi Lisboa, do secretário de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação de Santa Maria, Ewerton Falk, do secretário adjunto de Meio Ambiente da cidade, Guilherme Rocha, do gerente de Segurança Operacional do Aeroporto, Aleques Martins, e demais representantes da UFSM e da Ala 4.

*Com informações da UFSM.

A Ala 4 coordena, até o dia 21 de outubro, o Exercício Técnico IVR que tem como objetivo adestrar as equipagens dos Esquadrões Aéreos envolvidos nas Ações de Força Aérea de Reconhecimento Aéreo (Rec Ae), Controle Aéreo Avançado (CAA), Interferência Eletrônica (Interf Elt) e Ataque (Atq).

Estão participando da IVR 10 esquadrões das aviações de Caça, Reconhecimento e Patrulha, além de um Esquadrão de Comunicação e Controle e o 1º Grupo de Defesa Antiaérea (GDAAE). O Exército Brasileiro também está envolvido no exercício com a participação do 29º BIB e da 6ºBiaAAAe.

Cerca de 450 militares estão envolvidos com a realização de ações de Rec Ae (IMINT, ELINT) cujos resultados permitirão conhecer mais profundamente as capacidades dos sensores e analistas da FAB, além das Ações de Controle Aéreo Avançado e Ataque, que possibilitarão a disseminação da doutrina dessas ações a mais equipagens operacionais, bem como a programação de equipamentos de Guerra Eletrônica embarcados.


Durante o treinamento, estão sendo utilizadas cerca de 11 aeronaves da FAB, entre elas, o A-1, R-99, R-35A, R-35AM, P-3, P-95 e as ARP RQ450 e RQ900, além de meios de defesa antiaéreo IGLA-S, da FAB e antiaéreo Gepard, do Exército Brasileiro.

De acordo com o Comandante da Ala 4 e Diretor do Exercício, Coronel Aviador Élison Montagner, a IVR surgiu após a reestruturação da FAB e a criação do COMPREP. “Este tipo de exercício é fundamental para o adestramento das equipagens e permite que vetores de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (IVR), sejam empregados em ambiente controlado. O resultado das missões é analisado detalhadamente, permitindo ao COMPREP conhecer as potencialidades e limitações dos seus meios e tripulantes. O resultado final possibilitará ao COMAE empregar os meios adestrados pelo COMPREP com maior eficiência, alcançando a missão síntese da FAB”, destacou.

Para viabilizar o controle e comunicações em diversos pontos do território de treinamento o EXTEC conta, ainda, com o apoio do DECEA, especialmente do 4°/1° GCC, que possibilita a manutenção e treinamento do Comando e Controle em regiões remotas. “É importante destacar que o exercício ocorre na região Sul, especificamente em Santa Maria, local em que o Exército concentra o segundo maior contingente e destacadas unidades operacionais que possibilitam o adestramento conjunto, através da criação de cenários mais realísticos e adequados ao treinamento de todos os envolvidos”, acrescentou o Comandante da Ala 4.

Na tarde de sexta-feira (20) o Serviço de Assistência Religiosa da Ala 4 promoveu uma instrução prática com a turma do CFSD/B 2019. Acompanhados dos Capelães da GUARNAE-SM, cerca de quarenta Recrutas passaram a tarde em visita ao Lar das Vovozinhas. A instituição abriga cerca de cento e sessenta e cinco vovós que demandam diversos cuidados especiais, tanto físico quanto psicológico.

Segundo o Ten Capelão Padre Marcelo “o objetivo da visita foi de proporcionar aos futuros soldados um contato com pessoas que já tem uma longa história de vida e que podem repassar experiências que vão ajudar a suscitar ainda mais o senso de empatia com o próximo”, destacou.

Já o Aspirante Capelão Pastor Casagrande afirmou que “a interação com as senhoras foi importante devido ao fato de despertar em cada Recruta uma reflexão sobre a fragilidade e brevidade da vida humana, por isso, é importante a todo o momento investir nos relacionamentos”.

“Mesmo em meio a situações de abandono, muitas delas nos ensinam a viver a verdadeira alegria”, afirmou o Recruta Luiz Bueno.

No próximo dia 05 de novembro, terça-feira, a Banda de Música da Ala 4 realizará o tradicional concerto alusivo ao Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira. O evento acontece às 20h, no Centro de Eventos da UFSM, com entrada franca (sem retirada de ingressos).

O tema do concerto será ”Decolando nas Asas do Cinema” e o repertório pretende ser um verdadeiro passeio musical por diversas temas de longa-metragens conhecidos como Top Gun, Piratas do Caribe, Vingadores, Star Wars, etc.

O concerto terá, ainda, participação especial do Coral da APUSM, músicos convidados do Exército Brasileiro, além de cantores da comunidade de Santa Maria.

Vale destacar que a Banda de Música da Ala 4 completou 40 anos em julho deste ano e o seu atual regente é o Tenente Músico Silas José Cândido.

O evento tem o apoio do Exército Brasileiro, UFSM e Pró-Reitoria de Extensão.

Informações: Assessoria de Comunicação Social da Ala 4 - (55) 3220-3311.

Entre os dias 30 de setembro e 11 de outubro, o Campo de Instrução de Santa Maria (CISM) sediou o Exercício Técnico de tiro lateral terrestre do Esquadrão Pantera (5°/8° GAV). A bordo dos helicópteros H-60L Black Hawk, a unidade aérea realizou voos diurnos e noturnos, adaptação para os novos pilotos e tripulantes, além de formação para o uso dos óculos NVG, do inglês Night Vision Goggles.

Sediado em Santa Maria (RS), o Esquadrão realizou os tiros com as metralhadoras laterais Minigun M-134, calibre 7.62mm, com cadência de 3 mil e 600 tiros por minuto. Os militares fizeram o adestramento das táticas e técnicas de emprego armado em alvos terrestres.

O treinamento é de fundamental importância, tendo em vista que o Esquadrão, por vezes, é acionado para atuar em missões de alto grau de risco e complexidade, que visam coibir delitos como narcotráfico internacional, contrabandos e descaminho, tráfico de armas e munições, crimes ambientais e garimpos ilegais. Alinhado com técnicas de navegação tática, o armamento lateral do H-60L é primordial para a autodefesa de nossos helicópteros.

Fonte: Esquadrão Pantera.

 

 

Fim do conteúdo da página