Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > UNIFA recebe magistrados do TRF da 2ª região
Início do conteúdo da página

A Universidade da Força Aérea (UNIFA) recebeu na última sexta-feira, 31, uma comitiva de magistrados do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), tribunal que tem competência sobre os territórios dos Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

O grupo liderado pelo Desembargador André Fontes foi recebido pelo Comandante da UNIFA, Major Brigadeiro do Ar José Isaias Augusto de Carvalho Neto, que apresentou um breve histórico da Instituição. Também participaram da reunião, o Vice-Reitor Acadêmico, Brigadeiro Intendente Luiz Tirre Freire, o Pró-Reitor de Apoio à Pesquisa e Ensino, Brigadeiro de Infantaria Augusto Cesar Amaral, que apresentaram a estrutura dos dois cursos de Pós-Graduação stricto sensu da Universidade (com foco em Defesa Nacional e Poder Aeroespacial): Mestrado Profissional em Ciências Aeroespaciais (PPGCA) - reconhecido há seis anos pela CAPES como o primeiro curso de pós-graduação stricto sensu das Escolas de Altos Estudos das Forças Armadas - e Mestrado Profissional em Desempenho Humano Operacional (PPGDHO).

A comitiva também conheceu o Monumento Gênese do COMAER e o Museu Aeroespacial (MUSAL), acompanhados também do Diretor do MUSAL, Brigadeiro do Ar Luiz Carlos Lebeis Pires Filho e do Chefe do Escritório de Projetos Olímpicos da UNIFA, Brigadeiro do Ar José Avelino Ramos.

O Ex-Presidente do TRF2, Desembargador André Fontes, se sentiu surpreso e destacou que a UNIFA não se limita a formação de quadros orgânicos, mas também é aberta de maneira ampla a militares e civis que pretendem estudar questões relativas ao Poder Aeroespacial, o que para ele é motivo de grande orgulho saber que a estrutura da instituição está à disposição da nação.

“Foi uma feliz surpresa conhecer a UNIFA como uma instituição única entre as escolas militares que têm formas específicas de formação. Pude notar que a universidade é voltada para seus fins institucionais, que estão diretamente ligados aos objetivos da Força”, enfatizou o desembargador.

Fim do conteúdo da página