Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias
Início do conteúdo da página

Na sexta-feira (09), 31 Oficiais-Alunos do Curso de Altos Estudos Militares (CAEM) concluíram, na Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR), no Campo dos Afonsos (RJ), o Estágio em Política e Estratégia Aeroespaciais (EPEA), o primeiro de três módulos do mais alto curso de carreira oferecido aos Oficiais da Força Aérea Brasileira.

Na sua segunda edição, o CAEM é composto pelo EPEA, pelo Curso de Altos Estudos (CAE, efetuado em outras escolas congêneres de Altos Estudos, do Brasil e do Exterior) e pela Extensão em Alta Gestão Executiva (EAGE, cursado a distância). O objetivo deste primeiro módulo, o EPEA, foi propiciar aos oficiais-alunos uma imersão no Poder Militar Aeroespacial e uma profunda análise das ações em andamento para viabilizar a Concepção Estratégica – Força Aérea 100.

Em 2018, além das reflexões e instruções sobre os principais temas de Estratégia, Poder Aeroespacial e Avaliação da Conjuntura – prévia de assuntos específicos da FAB para o embasamento dos estudos nos demais módulos – os Oficiais-Alunos do CAEM participaram de um Seminário com as principais empresas da Base Industrial de Defesa brasileira, do setor aeroespacial. Essa iniciativa contou com a presença de empresas como EMBRAER, IMBEL, AEL SISTEMAS, HELIBRAS, ATECH e AVIBRAS.

Na sequência, os Grandes Comandos realizaram suas apresentações buscando mostrar os reflexos da Concepção Estratégica e respectiva Reestruturação da Força Aérea no âmbito de suas organizações.

A cerimônia de conclusão do EPEA foi presidida pelo Comandante da UNIFA, Major-Brigadeiro do Ar José Isaias Augusto de Carvalho Neto. O Comandante da ECEMAR, Brigadeiro do Ar Arnaldo Augusto do Amaral Neto, ressaltou, em suas palavras, que o EPEA tem uma importância inquestionável para a Força Aérea, em face do seu conteúdo que propicia aos Oficiais-Alunos uma imersão no Poder Militar Aeroespacial, proporcionando uma profunda transformação, por meio de debates, análises e trabalhos acadêmicos sobre a Concepção Estratégica – Força Aérea 100.

UNIFA promove adaptação para estrangeiros e curso para instrutores

Na quinta-feira (08), no Campo dos Afonsos (RJ), a Pró-Reitoria de Ensino Especializado e Idiomas (PROEEI) da Universidade da Força Aérea (UNIFA) encerrou o Curso de Adaptação ao Idioma e à Cultura Brasileira (CAICB).

O curso teve início no dia 8 de janeiro e foi composto por oito oficiais advindos de países do continente americano, sendo um oficial do Canadá, um dos Estados Unidos da América, um da Argentina, dois da Guatemala, dois do Peru e um de El Salvador. O CAICB tem como objetivo proporcionar condições de aprendizagem que os habilitem a adaptar-se ao processo de comunicação oral e escrita em Língua Portuguesa, integrar-se aos diferentes segmentos da sociedade brasileira e, em especial, ao Comando da Aeronáutica e valorizar as oportunidades de interação com variados setores da cultura brasileira.

Os oficiais, após o término do curso, serão encaminhados para a Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais da Aeronáutica (EAOAR), para a realização do Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais (CAP-1/2018), ou para a Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR), para a realização do Curso de Comando e Estado-Maior (CCEM).

A PROEEI também realizou, de 15 de janeiro a 1º de fevereiro, o Curso de Preparação de Instrutores (CPI-A), que contou com 7 alunos. O curso tem como objetivos proporcionar aos instruendos condições de aprendizagem que os habilitem a valorizar a função docente pelo seu papel relevante na formação de recursos humanos para a Aeronáutica, planejar a instrução segundo metodologias propostas e ministrar a instrução aplicando os procedimentos recomendados pelos fundamentos da educação e pela didática.

O CPI é ministrado a oficiais superiores ou intermediários, indicados instrutores da Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR) e da Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EAOAR).

 

Uma solenidade marcou a passagem de Comando do Batalhão de Infantaria da Aeronáutica Especial dos Afonsos (BINFAE-AF). O evento foi realizado no dia 17/01, na Universidade da Força Aérea (UNIFA), no Rio de Janeiro. O Tenente-Coronel de Infantaria Rodrigo Felipe Monteiro passou o Comando para o Major de Infantaria Paulo Roberto da Silva. A cerimônia militar foi presidida pelo Comandante da UNIFA, Major-Brigadeiro do Ar José Isaias Augusto de Carvalho Neto.

O Oficial-General destacou a participação do BINFAE-AF durante o planejamento, coordenação e execução da segurança e defesa na área de treinamento dos atletas nos Jogos Olímpicos Rio 2016 e nas ações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), no biênio 2016-2017. “Devemos prestigiar a formação de cerca de 800 soldados, devolvendo ao Brasil, cidadãos aperfeiçoados em sólidos valores éticos e morais”, afirmou o Major-Brigadeiro Isaias.

O Tenente-Coronel Monteiro ressaltou aspectos que nortearam o seu Comando. “O elevado grau de profissionalismo, dedicação e esmero demonstrados pelos seus comandados, que colocaram o BINFAE-AF no mais alto patamar da moralidade e bons costumes, forjados por alicerces sólidos de hierarquia e disciplina”, afirmou.

O novo Comandante do BINFAE-AF, Major Roberto, declarou que assumir o cargo será um grande desafio e uma oportunidade para colocar em prática os ensinamentos adquiridos no Curso de Comando Estado-Maior da Aeronáutica (CCEM), concluído em dezembro de 2017.

O BINFAE-AF tem a missão de realizar, em pronta-resposta, ações de operações especiais de superfície, de segurança e defesa das Unidades Aéreas desdobradas e dos pontos sensíveis de interesse da Aeronáutica, responsabilizando-se por executar e colaborar no planejamento, coordenação e supervisão das atividades da Guarnição de Aeronáutica dos Afonsos.

A Universidade da Força Aérea (UNIFA) iniciou, em 2017, a implantação de  um núcleo do Programa Forças no Esporte (PROFESP). A fim de apoiar o desenvolvimento do PROFESP a UNIFA  designou, neste final de ano, profissionais da área de assistência social e de pedagogia para trabalharem na Coordenação do Programa e militares para auxiliarem no desenvolvimento das atividades diárias. Além disso, buscou o apoio da CDA, estabeleceu novas Parcerias e ampliou o atendimento a adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social que, em 2018, passará para 150 podendo chegar a 200.  

A Parceria, firmada entre a UNIFA e a CDA, publicada no BCA Nº 091 de 2017, possibilitou o recente apoio mútuo estabelecido entre essas OM para o desenvolvimento das atividades do PROFESP. A Parceria com Escolas Estaduais do entorno do Campo dos Afonsos, que não eram atendidas pelo PROFESP, possibilitou o aumento do atendimento à adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social.

 Reunião, realizada no dia 29 de novembro de 2917 com Escolas Estaduais do Entorno do Campo dos  Afonsos, que não eram atendidas pelo PROFESP:

A Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR) realizou, nessa sexta-feira (08/12), a diplomação dos Cursos de Altos Estudos Militares (CAEM) e de Comando e Estado-Maior Presencial (CCEM-P). A cerimônia militar foi presidida pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, acompanhado pelo Comandante-Geral do Pessoal, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez; pelo Diretor de Ensino, Major-Brigadeiro do Ar Rui Chagas Mesquita; pelo Comandante da Universidade da Força Aérea, Major-Brigadeiro do Ar José Isaias Augusto de Carvalho Neto; pelo Comandante da ECEMAR, Brigadeiro do Ar Arnaldo Augusto do Amaral Neto; além de Oficiais-Generais e de autoridades militares e civis.

“Onde quer que estejam servindo, façam a diferença, tragam a ordem onde houver o caos, sejam dignos, justos, leias e comprometidos com as mudanças necessárias para a moderna Força Aérea que almejamos”, disse o Comandante da ECEMAR aos novos diplomados.

O Coronel Intendente Gilson Alves de Almeida Júnior, oficial mais antigo do CAEM, e o Tenente-Coronel Aviador Luiz dos Santos Alves, primeiro colocado do CCEM-P, receberam das mãos do Comandante da Aeronáutica o diploma de conclusão do curso.

O corpo discente foi composto por 20 Oficiais-Alunos do CAEM e 93 do CCEM-P. Dentre estes, também fizeram parte Oficiais das Nações Amigas da África do Sul, da Argentina, da Coreia do Sul, de El Salvador, dos Estados Unidos da América, de Moçambique e da República Dominicana, que trocaram experiências com os militares brasileiros.

O CAEM, implementado pela primeira vez neste ano, substituiu o Curso de Política e Estratégia Aeroespaciais (CPEA). É constituído por três módulos: Estágio em Política e Estratégia Aeroespaciais (EPEA), realizado na ECEMAR, que marca o início da jornada acadêmica; Curso de Altos Estudos de Política e Estratégia (CAEPE), e Extensão em Alta Gestão Executiva (EAGE), módulo pioneiro que contemplou as atividades de liderança estratégica, análises de cenários e riscos, além de tomada de decisão.

“Mais do que técnicas e táticas, o correto conceito do emprego do Poder Aéreo e a capacidade de planejamento estratégico são essenciais para preparar os homens e as máquinas para a guerra do futuro. O aperfeiçoamento contínuo é essencial”, salientou o orador das turmas CAEM e CCEM de 2017, Coronel Intendente Gilson Alves de Almeida Júnior.

Nos próximos Cursos de Comando e Estado-Maior, os Oficiais-Alunos passarão por dois anos de formação: o primeiro ano a distância, com um MBA de Planejamento e Gestão Estratégicos, bem como com módulos de Doutrina Militar; e no segundo ano, presencial, a ECEMAR lançará mão do conceito de Sala de Aula Invertida, em que o aluno passa a ser o protagonista do processo de ensino-aprendizagem, elevando o pensamento acadêmico ao nível de análise crítica e assessoramento de alto nível.

 

ORDEM DO DIA DO COMANDANTE DA AERONÁUTICA

Brasília, 20 de janeiro de 2018.

Já na década de trinta estrategistas brasileiros eram influenciados pela nova linha teórica dos artífices do poder aéreo. Na ponta da linha, a prática fustigava o dia a dia dos aviadores mais novos, dependentes de uma estrutura de comando incapaz de entender às peculiaridades da execução da atividade aérea e do avanço tecnológico.

Impulsionados pela Segunda Grande Guerra e pela consolidação da necessidade de uma Força independente, finalmente no ano de 1941 cria-se o Ministério da Aeronáutica.

E assim sucederam-se 77 anos de história. A história dos nossos heróis que participaram do batismo de fogo na 2° Grande Guerra, dos desbravadores do nosso país que integraram o território nacional nas asas do Correio Aéreo Nacional, daqueles que fomentaram e fortaleceram a indústria aeronáutica nacional e todos aqueles que, anônimos, construíram a Força Aérea Brasileira.

Desde as nossas origens, a FAB é reconhecida pela adequabilidade e agilidade frente às mudanças conjunturais, tanto no planejamento quanto na execução de suas atividades. Essa é a essência dos nossos homens e mulheres.

Hoje, a Força Aérea navega na rota desejada, com planejamento e preparada para as intempéries que pode enfrentar no seu caminho, vem se profissionalizando e racionalizando as suas atividades, simplificando processos na busca da eficácia e da eficiência, no rumo da Força Aérea 100.

Dentro desse escopo, destaco os programas estratégicos que têm sido o norte para a Força Aérea do futuro idealizada por nós e pelos nossos antecessores, o desenvolvimento do Gripen NG e do KC-390, projetos que colocam a nossa indústria aeronáutica em um novo patamar. Destaco, ainda, o Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE), que é o programa que colocará o Brasil em uma condição competitiva na área espacial e no cenário prospectivo da guerra aérea do futuro.

E para chegar a esse patamar que almejamos para o futuro, será necessário um constante aperfeiçoamento e busca pelo conhecimento, esses são os ingredientes que necessitamos para continuarmos sendo referência a todo o povo brasileiro.

Finalmente, em tempos de crise, tenho certeza que o maior legado deixado por nossos antecessores foi o arcabouço moral. Envergamos em nossas mentes e almas os valores de disciplina, hierarquia, patriotismo, integridade, comprometimento e profissionalismo, catalizadores de uma Força moderna, porém sólida em seus princípios.

A esses homens que através de sua visão de futuro, idealizaram a instituição que temos hoje e que almejamos, rendemos os nossos mais sinceros agradecimentos e homenagem.

Muito obrigado a todos!

Tenente-Brigadeiro do Ar NIVALDO LUIZ ROSSATO
Comandante da Aeronáutica

A Universidade da Força Aérea (UNIFA) encerra este mês de dezembro com mais (06) seis dissertações defendidas e aprovadas no Programa de Pós-Graduação em Ciências Aeroespaciais (PPGCA).

Os temas abordados pelas pesquisas são de grande relevância para as diversas áreas de atuação do COMAER, abrangendo assuntos tais como: Segurança de voo; Potencial para fabricação de componentes estruturais aeronáuticos: caso SAAB / GRIPEN NG; Indústria aeronáutica; Operações da aeronave KC-390 na FAB; Consciência situacional em Operações Bilaterais; Gerenciamento de Riscos; Estrutura do Ensino e Formação Continuada; dentre outros.

As discussões e análises promovidas pelos respectivos estudos trazem aplicações diretas ao COMAER, possibilitando intervenções necessárias para o processo estrutural e de funcionamento da FAB, além de formar profissionais altamente capazes de assessorar estrategicamente em assuntos relativos aos processos decisórios nos mais diversos segmentos.

 

A Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais da Aeronáutica (EAOAR), localizada no Rio de Janeiro (RJ), encerrou, na última quinta-feira (07/12), o segundo curso de aperfeiçoamento do ano de 2017. Durante o evento, os 104 oficiais-alunos receberam os certificados de conclusão do Curso de Aperfeiçoamento, que teve a finalidade de desenvolver, nos militares de carreira dos vários quadros do Comando da Aeronáutica, as capacidades de gestão, assessoramento e liderança relacionadas às questões de natureza administrativa e operacional nos seus respectivos níveis de atuação.

A cerimônia de encerramento foi presidida pelo Tenente-Brigadeiro do Ar William de Oliveira Barros, Ministro do Superior Tribunal Militar (STM), que realizou a entrega do diploma à primeira colocada do Curso, Capitão Intendente Larissa Araújo de Oliveira Gaspar.

O evento foi finalizado com a leitura das palavras do Comandante da EAOAR, o Coronel Aviador Helmer Barbosa Gilberto. “É importante o desenvolvimento de uma liderança transformadora, de um assessoramento leal, de uma gestão empreendedora e da busca incessante pelo aprimoramento contínuo”, destacou, em seu texto de agradecimento aos oficiais.

O encerramento do curso contou, ainda, com a presença de diversas autoridades, entre elas, o Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, Comandante-Geral do Pessoal; e o Major-Brigadeiro do Ar Rui Chagas Mesquita, Diretor de Ensino da Aeronáutica.

 

Fim do conteúdo da página