Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias
Início do conteúdo da página

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) realizou nesta quinta-feira (08/06) o lançamento do 20º Foguete de Treinamento Básico (FTB) disparado ao norte da costa maranhense. O lançamento faz parte da Operação Falcão I/2017, iniciada na última segunda-feira (05/06) em Alcântara, com o objetivo de lançar e rastrear 01 (um) FTB, coletando dados via telemetria, com a finalidade de realizar o treinamento operacional do CLA e, ainda, coletar dados para qualificação e certificação do veículo.

O 20º lançamento do FTB em Alcântara ocorreu às 11h50min da manhã. O foguete atingiu uma altitude máxima (apogeu) de 31 quilômetros em 1min16seg de voo, vindo a atingir o ponto de impacto em alto mar a uma distância de 16 quilômetros da plataforma de lançamento. Ao todo, o vôo do veículo durou 2min45seg até a queda no Oceano Atlântico. A Operação Falcão I/2017 reuniu toda equipe operacional do CLA, além de militares que atuaram no suporte à campanha de lançamento pertencentes, ao Grupamento de Apoio de Alcântara (GAP-AK) e ao Destacamento de Saúde de Alcântara (DS-AK).

O lançamento realizado na manhã de hoje foi acompanhado por comitiva chefiada pelo Major Brigadeiro do Ar Luís Roberto do Carmo Lourenço, Comandante do Quarto Comando Aéreo Regional (COMAR IV) e contou com representantes das áreas comercial e de serviços, eclesiástica, educacional, financeira, industrial, política e sindical, oriundos do estado de São Paulo. Além da comitiva paulista, estiveram presentes professores da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) componentes do Programa de Pós-Graduação ligado ao Mestrado Profissional em Engenharia de Computação de Sistemas Aplicados à Engenharia Aeroespacial, iniciado neste ano em cooperação com o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e com apoio do CLA. “Eu acredito nessa parceria do Centro com as universidades para que a gente possa ajudar na solução de problemas do CLA, um espaço que se baseia em tecnologia, e as universidades locais, tanto estadual quanto federal, desenvolvem muitas pesquisas que podem contribuir para o Centro, ao mesmo tempo em que teremos alunos com uma motivação muito maior em trabalhar numa área de tamanha atração como a espacial”, destacou o professor Areolino Neto.

 

FTB

Desenvolvido pela indústria nacional, o FTB é um veículo de treinamento destinado a proporcionar treinamento operacional das equipes e testar a prontidão da infraestrutura dos centros de lançamento nacionais, CLA e Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), situado em Parnamirim, no Rio Grande do Norte, para lançamentos, exercitando as principais funções de comunicações, telemetria, rastreamento e gerenciamento dos procedimentos de segurança e comandos para lançamentos. Utiliza combustível sólido e é estabilizado por quatro hastes aerodinâmicas. O sistema de lançamento emprega um casulo reutilizável que pode ser novamente empregado em outras operações para integração do veículo junto à plataforma de lançamento.

 

Características do FTB

Comprimento total: 3,05 metros

Diâmetro do veículo (calibre): 127 mm

Peso total do veículo: 68,3 quilogramas
Peso de propelente: 29,2 quilogramas
Peso reservado para experimento: 5 quilogramas
Apogeu aproximado (82°) (estimado): 30 quilômetros
Tempo total de vôo (estimado): 2 minutos e 46 segundos

Nesta segunda-feira (29/05/2017) teve início no Centro de Lançamento de Alcântara a primeira reunião do ano do Grupo de Interfaces de Lançamento (GIL 1/ 2017), bem como a 1ª Reunião de Acompanhamento de Interfaces (RAI) da Operação Mutiti. Ao longo da semana, representantes do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI) e Agência Espacial Brasileira (AEB) discutirão os futuros lançamentos a serem realizados no período de 2017 a 2019.

Para o ano de 2017, estão previstas quatro operações de lançamento no CLA. A principal operação do ano prevê o lançamento de um foguete VS-30 com experimentos científicos e tecnológicos embarcados na Plataforma Suborbital de Reentrada (PSR), na Operação Mutiti, em novembro. Nas reuniões também serão abordados assuntos sobre o Veículo Lançador de MicrosSatélite, VS-50, VS- 43 e o veículo VBS-43. Serão apresentados também, resultados da Rio Verde, operação realizada em 2016 e a previsão orçamentária para o Acesso ao Espaço e Infraestrutura Espacial.

Para o Coronel Engenheiro Luciano Valentim Rechiuti, Diretor do CLA, a reunião do Grupo de Interfaces de Lançamento é o momento ideal para se reforçar os elos entre DCTA, IAE, IFI, AEB, CLBI e CLA, além de permitir a demonstração de que os meios operacionais do Centro então em constante modernização e em pleno funcionamento.

 

GIL

O Grupo de Interfaces de Lançamento é regulado pela Instrução do Comando da Aeronáutica 60-1 e se reúne até três vezes ao ano para discutir, dar encaminhamentos e propor soluções para o andamento da atividade espacial no Brasil. Além do presidente, fazem parte do grupo integrantes do DCTA, AEB, IAE, IFI e dos Centros de Lançamentos de Alcântara e da Barreira do Inferno.

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) iniciou nesta segunda-feira (22/5) a primeira edição deste ano de 2017 do Curso de Preparação para Operações de Lançamento, módulo I (CPOL I/ 2017). A atividade ocorre na organização militar da Força Aérea Brasileira (FAB), responsável pelo lançamento e rastreio de engenhos aeroespaciais, com objetivo de capacitar pessoal técnico recém-incorporado a exercer com segurança e desenvoltura as atividades afetas ao lançamento de veículos espaciais a partir do CLA. Ainda espera-se a partir do CPOL, a consolidação como curso de entrada para novos operadores, colaboradores e clientes do Centro, além de capacitar operadores advindos de outros setores do CLA para atuar como apoio nas atividades de
lançamento. A primeira edição do CPOL I/ 2017 ocorre em Alcântara até a próxima sexta-feira (26/5).
Na abertura do CPOL I/ 2017, o Coronel Luciano Valentim Rechiuti, Diretor do CLA apresentou aos participantes a missão, infraestrutura atual, últimos avanços, principais operações e perspectivas futuras do Centro. Ao longo da semana conforme o cronograma do curso, os inscritos receberão instruções sobre tecnologia espacial, operações de lançamento, planejamento operacional, preparação e lançamento, segurança de superfície, sistema de localização – radares, segurança do trabalho, perspectivas futuras da área espacial, sistema de telemedidas, trajetografia e sincronização, metrologia, meteorologia, segurança de voo espacial, gestão da qualidade e área patrimonial. No último dia do curso, haverá ainda uma visita técnica às principais estações operacionais do CLA e ao término os participantes realizarão uma avaliação para testar os conhecimentos adquiridos ao longo do cinco dias de treinamento. “O CLA tem hoje papel vital nos projetos voltados à área espacial, necessariamente todos eles passam ou passarão por Alcântara em algum momento. Nesse sentido, o CPOL vem se consolidando com uma ferramenta efetiva para a gestão do conhecimento, ao passo em que possibilita com que colaboradores mais experientes, transmitam suas competências e vivências aos recém-chegados que nos próximos anos assumirão funções estratégicas nas operações de lançamento”, explica o Coronel Luciano, Diretor do CLA.

O Curso de Preparação para Operações de Lançamento (CPOL) é uma iniciativa do CLA e visa preparar novos operadores e colaboradores do Centro para atuarem nas atividades afetas a sua atividade-fim: preparar, lançar e rastrear engenhos aeroespaciais e suas cargas úteis. É composto de dois módulos (teórico ou universal e prático ou específico), sendo o segundo obrigatório para aqueles que estarão engajados nas atividades dos setores operacionais do CLA. A certificação oferecida pelo primeiro módulo é a de “colaborador qualificado” e a do segundo módulo é de “operador da estação”. No segundo módulo, ainda a ser realizado, o participante irá se especializar em uma das estações operacionais do Centro, recebendo posteriormente, certificado com descrição mais específica do módulo, igualmente com a quantidade de horas de prática, atestando, portanto, a competência operacional. Por exemplo, operador da estação Radar Atlas, operador da estação Radar Adour, operador da estação de Telemedidas, operador da estação de Meteorologia, etc. O CPOL I/ 2017 é regulado pela Tabela de Cursos da Aeronáutica (TCA) 37-15/ 2016 “Cursos e Estágios do DCTA para o ano de 2017”. 

Foi lançada na última quarta-feira (26/4) na Câmara dos Deputados, a Frente Parlamentar para Modernização do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA).

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) participou nos dias 22 a 24/5, de workshop sobre Tecnologia Aeroespacial. O ciclo de apresentações, debates e mesas-redondas promovido pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em parceria com o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER) reuniu discentes e docentes de ensino superior na área de tecnologia, com o objetivo de despertar o interesse dos estudantes para o desenvolvimento de tecnologias para o setor aeroespacial brasileiro.

Durante três dias de atividades, especialistas no setor aeroespacial abordaram temas como Modelagem Multifísica e Aplicações em Sensores e Atuadores Aeroespaciais, Estruturas Inteligentes e Aplicações Aeroespaciais, Programa Espacial Brasileiro, CLA e o Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE).

A denominada “Escola de Altos Estudos no Maranhão” surgiu da necessidade de investir os recursos que o estado oferece, visando à produção de ciência e pesquisa no contexto espacial, formando estudantes que futuramente possam suprir as necessidades do CLA, principalmente com a implantação do curso de Engenharia Aeroespacial no Maranhão. 

Para o Coronel Engenheiro Luciano Valentim Rechiuti, Diretor do CLA, o workshop foi importante para fortalecer as linhas de pesquisas ligadas à área espacial no estado, visando ao desenvolvimento do país no quesito tecnologia, em atendimento não apenas ao CLA, mas também as demais organizações da Força Aérea Brasileira (FAB). Ainda na opinião do Diretor do CLA, o workshop serviu também como uma grande oportunidade de integração entre os setores do governo federal, estadual, indústria e academia (universidades) voltados para o setor espacial.

 

 

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) recebeu nesta quarta-feira (17/06), o Embaixador da Coréia do Sul, Jeong Gwan Lee  e comitiva. A visita  teve por objetivo apresentar a infraestrutura operacional  do Centro para realização de atividades de lançamento e rastreio de engenhos espaciais, instalada no município de Alcântara.

A visitação foi iniciada com uma apresentação sobre o CLA, realizada pelo Coronel Engenheiro Luciano Valentim Rechiuti, Diretor do CLA, abordando o histórico das atividades espaciais no Brasil, avanços das atividades espaciais no país, os lançamentos realizados pelo Centro e as perspectivas futuras.

Na sequência, a comitiva conheceu o Centro de Controle, onde ocorre a coordenação das operações de lançamento do Centro, e passaram pelas estações de Telemedidas, Meteorologia e Radar Adour. No Setor de Preparação e Lançamento (SPL), a comitiva da Embaixada Coreana visitou a Casamata, a estrutura reforçada mais próxima das plataformas de lançamentos e que abriga, com segurança parte dos  engenheiros e técnicos envolvidos com as operações.  Por fim, foi realizada a visita na Torre Móvel de Integração (TMI), que é a plataforma que está sendo preparada para a operação do Veículo Lançador de Microssatélites (VLM).

 

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) realizou a 1ª fase do Programa de Acompanhamento dos Soldados “Projeto de Olho no Futuro”, para 93 recrutas do Curso de Formação de Soldados, no ano de 2017.

Fim do conteúdo da página