Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > CIAAR implanta sala de aula invertida e metodologias ativas em seus cursos
Início do conteúdo da página


O Corpo de Alunos do Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR) realizou nos dias 28 e 29 de junho, palestras e oficinas com o objetivo de fomentar discussões acerca de experiências de organizações de ensino, civis e militares, que adotam a prática pedagógica da Sala de Aula Invertida e de Metodologias Ativas.  A prática foi aplicada de modo experimental em aulas de inglês do Curso de Formação de Oficiais Especialistas (CFOE) e está sendo implantada no Estágio de Adaptação ao Oficialato (EAOF).

A programação contou com palestras sobre Sala de Aula Invertida, Relatos de Experiências Docentes, Protagonismo Estudantil, Tecnologia da Informação aplicada ao Ensino e Metodologias Ativas e Aprendizagem aplicadas na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), Escola de Comando de Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR) e Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais da Aeronáutica (EAOAR). Foram mais de 70 participantes, representando o CIAAR, Academia da Força Aérea (AFA), Universidade da Força Aérea (UNIFA), e Parque de Material Aeronáutico de Lagoa Santa (PAMA-LS).
      “O mundo mudou e, com o evento, podemos também implementar novas soluções. As novas gerações são inquietas, precisam participar e nós temos os profissionais capazes de promoverem a mudança.”, disse o Comandante do CIAAR, Brigadeiro do Ar Mário Sérgio Rodrigues da Costa, que fez a abertura oficial do evento. “Espero que possamos promover isso em várias escolas pois o conhecimento precisa ser difundido. Que seja o início de uma caminhada”, completou o Brigadeiro Mário.
       Na Sala de Aula Invertida, a obtenção do conhecimento, que antes era obtida em sala de aula passa a ser realizada individualmente, em casa, e o que era tradicionalmente feito em casa é realizado em sala de aula. “O professor tem um papel ainda mais importante, pois passa de detentor do conhecimento para mediador e isso exige muito mais dele, desde como determinar quais são as fontes e informações oficiais de consulta, até onde vai a pesquisa, já que todos hoje buscam as informações na internet”, disse a Professora Mestre Marcela Aparecida Toledo Milagres Duarte, que há três anos pesquisa o tema. “É um método de ensino-aprendizagem no qual acontece a descentralização do saber”, explicou a Professora Marcela.
Nesse modelo, antes da aula o professor prepara o conteúdo (vídeos, textos, slides) e disponibiliza para os alunos. Esses acessam o conteúdo e vão para a sala esclarecer as dúvidas. Em sala, o professor realiza atividades práticas e revisa o conteúdo. Após a aula, ele avalia o que funcionou ou não e planeja o próximo encontro. “Não é simples, porém o resultado é extremamente satisfatório. O aluno aprende mais e fica mais motivado e várias habilidades cognitivas são desenvolvidas. Além disso, existe o sentimento de pertencimento, de troca de experiências e conhecimento”, ressalta a Professora Marcela.
A Professora Letícia Nogueira Melo Theodoro, compartilhou a experiência da aplicação da metodologia em suas aulas de inglês na Turma AD Astra CFOE 2º ano do CIAAR: “Depois de conhecer a Sala de Aula Invertida, me interessei em implementá-la, pois eu demorava muito na explanação dos conteúdos. Como meu marido trabalha com edição de vídeos, criamos um vídeo de acordo com o perfil e a necessidade da turma, com tema de Super Heróis”, explica a Professora Letícia. Os alunos assistiram ao vídeo sozinhos e receberam um exercício dirigido antes de irem para a sala de aula. Com isso, foi possível incrementar as atividades. “Agora consigo verificar a aprendizagem através de exercícios dirigidos e ainda incluir atividades orais de conclusão. Eu tive ótimos feedbacks dos alunos e senti a turma mais envolvida e participativa, além de conseguir otimizar o tempo”, completa a Professora Letícia.
Quanto à aplicabilidade da Sala de Aula Invertida, para qualquer assunto ela pode ser feita, mas existem algumas dicas e sugestões para obter melhores resultados, tais como: escolher os temas que gastem muito tempo em aula para explanar o conteúdo, não inverter todas as aulas e utilizar vídeos com no máximo 10 minutos de duração, além de outros métodos.
“O benefício direto da implantação dessa metodologia é o aumento da qualidade na formação dos futuros Oficiais da FAB. Há a transformação no processo da produção do conhecimento. O aluno deixa de ser um agente passivo no processo ensino aprendizagem e assume uma postura ativa, onde ele constrói o conhecimento sob a supervisão didática do docente. Formaremos então um Oficial com maior capacidade de análise e decisão frente às matérias que lhe serão apresentadas no dia a dia das Organizações da FAB”, explica o Comandante do Corpo de Alunos, Coronel Aviador Lincoln Ramos Hungria. “O outro benefício é o compartilhamento de ideias com os colegas em sala de aula, onde todos crescem e multiplicam os conhecimentos sob diversas óticas. O corpo docente também é engrandecido, na medida em que necessitarão aprofundar seus conhecimentos da matéria ministrada para dar suporte às interações que ocorrerão com alunos acerca do tema tratado”, completa o Cel Lincoln.
No CIAAR, os benefícios da Sala de Aula Invertida e Metodologias Ativas já estão sendo implantados para os estagiários da Turma do EAOF 2018.

Fim do conteúdo da página