Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > Hospital de Campanha da Força Aérea também é lugar de mulher
Início do conteúdo da página


O Hospital de Campanha (HCAMP) da Força Aérea Brasileira (FAB) foi instalado em Pedro Leopoldo, região metropolitana de Belo Horizonte, e está realizando atendimentos à população desde o dia 23 de abril.  Neste ano, a participação feminina foi marcante no HCAMP, uma vez que mais da metade dos estagiários são mulheres. Dos 70 estagiários, 41 são do sexo feminino.  

A expectativa é de que cerca de duas mil pessoas sejam acolhidas nas 15 especialidades médicas e odontológicas até o dia 27/04. Já no primeiro dia foram realizados 378 atendimentos médicos e 362 odontológicos, além de 101 procedimentos (Raio X, Ultrassom, enfermagem etc) e o atendimento a mais de 100 crianças de escola municipal com o objetivo de conscientizá-los sobre a importância da saúde bucal.
O HCAMP faz parte do treinamento em saúde operacional dos médicos, dentistas, farmacêuticos, enfermeiros, fisioterapeutas, assistentes sociais e psicólogos que realizam o Curso e Estágios de Adaptação Militar, no Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR).
Para a médica geriatra, Priscila Brutt Malaquias, 30 anos, natural do RJ, “é uma experiência muito enriquecedora. É uma oportunidade de ajudar a população e contribuir para a melhoria da saúde”, além disso, comenta que o HCAMP permite em um mesmo cenário abranger várias especialidades além da geriatria “ter diversas especialidades em um único lugar facilita muito para população”.
Para a psicóloga Camila de Carvalho Machado, 31 anos natural do RJ, que está participando das atividades da equipe do HCAMP, “tudo isso é uma experiência muito enriquecedora, pois o HCAMP conseguiu trazer atendimento médico e psicológico para a população, ou seja, um atendimento integrado e multidisciplinar, com várias áreas atuando e assim, levando à população atendimento e acolhimento”.
HISTÓRIA
As pioneiras na FAB ingressaram em 1982, quando foram criados os quadros femininos de oficiais e de graduadas, cabendo ao CIGAR, hoje CIAAR, a responsabilidade de receber e formar as primeiras graduadas para a Força Aérea Brasileira.
Aos poucos, elas foram conquistando espaço dentro da Força que vem aumentando, desde 1982, o número de representantes do sexo feminino – atualmente com mais de 10 mil militares, totalizando 16% do efetivo. São médicas, pedagogas, aviadoras, bibliotecárias, contadoras, dentistas, controladoras de tráfego aéreo, mecânicas. A lista de especialidades é extensa: todas as escolas da Aeronáutica, hoje, recebem mulheres.
De lá prá cá, 35 anos se passaram e hoje temos, aqui na nossa região, a primeira mulher comandando o Esquadrão de Saúde da Aeronáutica de Lagoa Santa, Organização de Saúde da FAB que atende aos militares, e seus dependentes, da Guarnição de Aeronáutica de Belo Horizonte.

A médica geriatra, Priscila Brutt Malaquias atendendo

Atendimento odontológico

Oftalmologia pediátrica

A importância da saúde bucal

Fim do conteúdo da página